Sindicato aciona justiça para que funcionários da Solar Pernambuco recebam ajuste financeiro

0
Coordenador do Sindicato das Indústrias e Bebidas do Estado de Pernambuco (Sindbeb) em Petrolina, Vanilson Oliveira Reis. Foto: Blog Carlos Britto

Na manhã desta quinta-feira (24) o coordenador do Sindicato das Indústrias e Bebidas do Estado de Pernambuco (Sindbeb) em Petrolina, Vanilson Oliveira Reis, falou sobre a rodada de negociações entre a entidade e as empresas do setor. Segundo ele, a empresa Solar Petrolina e também a Solar Pernambuco estão resistentes quanto ao ajuste financeiro dos funcionários. 

“Desde 1º de setembro a gente vem negociando com a empresa e chegamos hoje no Natal sem um real aumento. Na última rodada de negociações, terça-feira em Recife, a empresa primeiramente tinha acordado um percentual de 3% (a reposição da inflação), quando voltamos com uma contraproposta a empresa alegou que ia ser 0%. Que se quisesse, podia levar para votação, que só tinha zero para oferecer aos trabalhadores”, explicou Vanilson em entrevista ao Programa Carlos Britto, na Rural FM. 

Diante da resposta da empresa, o Sindibeb acionou a justiça. “Com isso, não temos outro meio há não ser de procurar o Ministério da Economia e pedimos um malogro do nosso dissídio, e vamos esperar que um juiz acate o nosso dissídio. Que nesse caso, pelo menos a aplicação da inflação”. 

Vanilson pede que os trabalhadores fiquem tranquilos, pois “o sindicato vem buscando da melhor forma o entendimento com a empresa, mas quando chega num momento desse que é uma queda de braço, que a gente tem que pedir a mediação do Ministério Público do Trabalho, a gente fica na mão de um terceiro aguardando”.  

Greve

Questionado quanto à possibilidade de greve dos funcionários da empresa, Vanilson explicou: “como estamos aguardando um posicionamento do Ministério Público do Trabalho, que vai chamar a empresa e o sindicato para negociação, após isso, o negociador decreta o malogro dessa ata e a gente procura o juiz para que ele determine o estado de greve e também, caso ele mande aplicar diretamente o dissídio (reposição da inflação), a gente não vai para greve”.

Segundo o sindicalista, a empresa Solar em Petrolina tem mais de 200 funcionários e mesmo com a pandemia, manteve suas vendas em alta. “Ela conseguiu bater todas as metas no mês de julho até agosto. Coisa que nos últimos sete anos não conseguia fazer. E diz que não tem como negociar porque não tem dinheiro para pagar 3% de aumento, e é só a reposição do salário base, fica difícil”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome