SES confirma circulação comunitária de Influenza A (H3N2) em Pernambuco

por Carlos Britto // 21 de dezembro de 2021 às 06:57

Foto: Miva Filho/SES-PE

O Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE) liberou, nesta segunda-feira (20) o resultado da análise de amostras biológicas de pacientes que tiveram resultado negativo para a Covid-19. Na verificação do painel viral, que inclui influenza, vírus sincicial respiratório (VSR) e rinovírus e é feita semanalmente pela técnica de RT-PCR, foram obtidos 40 casos positivos para a influenza A (H3N2). Desses, um paciente veio a óbito no último domingo (19). Esses casos juntam-se aos outros três divulgados no último sábado (18), totalizando 42 por critério laboratorial e um por clínico-epidemiológico. As informações foram repassadas nesta segunda durante coletiva de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Os pacientes são oriundos de 14 municípios, espalhados por todas as regiões do Estado, além de um de Niterói (RJ). Com isso, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) afirma que já há circulação comunitária em Pernambuco desse tipo de influenza, que circula de forma sazonal, ou seja, de tempos em tempos. Uma nota técnica foi liberada nesta segunda com orientação para os serviços de saúde sobre como proceder para notificação e tratamento dos casos, além de informações sobre medidas de prevenção.

Precisamos lembrar que a influenza é uma doença sazonal, que já vem sendo confirmada em diversos Estados brasileiros. Apesar de preocupante, a circulação da influenza A (H3N2) deve ter uma menor repercussão em casos graves e internamentos quando comparadas às ocorrências da Covid-19. Precisamos, neste momento, de uma atenção redobrada, principalmente para as crianças, os idosos e pessoas com comorbidades severas, já que são grupos com maior risco para agravamento pela influenza“, ressaltou Longo.

O secretário também afirmou que foi comunicado, neste último final de semana, por unidades privadas de saúde e por Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), do aumento de pacientes com sintomas gripais, quadros que podem ser provocados por diversos vírus, como a Covid-19 e a influenza, além de outros agentes.

Neste momento, é de suma importância que todos os pacientes com quadro de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) sejam testados para Covid-19 e, se negativarem, as amostras serão testadas no Lacen para uma possível infecção pela influenza. Também é fundamental redobrarmos os cuidados, especialmente com o uso da máscara, uma medida comprovadamente eficaz para controlar diversas doenças, incluindo a Covid-19 e a influenza. Se a grande maioria das pessoas usar a máscara corretamente, vamos evitar as contaminações, o estrangulamento da rede de saúde e que vidas sejam perdidas para a Covid e também para a influenza. A máscara pode ser um pouco desconfortável, mas salva a sua vida e pode impedir que você seja responsável pelo adoecimento de alguém que ama”, frisou.

Perfil dos casos

Dos 42 casos confirmados de influenza A (H3N2) laboratorialmente desde o sábado, 9 são casos de SRAG, com 6 internados em enfermaria, dois em UTI e um óbito. A morte foi de um homem de 46 anos, residente no Recife. Ele apresentou quadro de falta de ar no último dia 9/12, buscando atendimento em uma UPA no dia 10/12, quando foi intubado e transferido para a UTI do Hospital Agamenon Magalhães (HAM), vindo a falecer no domingo (19/12). O homem, paciente renal crônico, teve o exame para Covid-19 negativo, sendo feito, posteriormente, o da influenza.

Também foram localizados 12 registros no sistema e-SUS, utilizado para registro de casos leves, a partir de informações que já estavam baixadas na SES. Os demais, provavelmente também do e-SUS, não foram localizados, já que o sistema do Ministério da Saúde (MS) está fora do ar.

Os pacientes confirmados para a influenza A (H3N2) são dos municípios do Recife (17), Caruaru (4), Igarassu (4), Jaboatão dos Guararapes (4), Cabo de Santo Agostinho (2), Olinda (2), Camaragibe (1), Carpina (1), Ipojuca (1), Itambé (1), Moreno (1), Ribeirão (1), Santa Terezinha (1) e Vitória de Santo Antão (1), além de Niterói (1), no Rio de Janeiro, e mais 1 do Recife pelo critério clínico-epidemiológico. As faixas etárias são: 5 (12%) menores de 18 anos; 17 (40%) de 18 e 39 anos; 15 (36%) com 40 a 59 anos e 5 (12%) com 60 anos ou mais; além do caso confirmado por critério clínico-epidemiológico (48 anos).

Unidades privadas

Durante a coletiva, o secretário André Longo ainda informou que irá encaminhar 50 mil testes rápidos de antígeno para detecção da Covid-19 para unidades privadas do Estado que possuam emergência de clínica médica e de pediatria. A decisão foi acordada com o Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado de Pernambuco (Sindhospe).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *