Serra Talhada: Tributo a Lampião marcará os 120 anos do ‘Rei do Cangaço’

por Carlos Britto // 13 de julho de 2017 às 21:38

No dia 7 de julho de 1987, nascia no Sítio Passagem das Pedras, zona rural de Serra Talhada (PE), no Sertão do Pajeú, Virgolino Ferreira da Silva, que se tornou popularmente conhecido como Lampião. Para celebrar os 120 anos do ‘Rei do Cangaço’ (umas das figuras históricas mais importantes do Nordeste e do Brasil), a Fundação Cultural Cabras de Lampião não deixará a data passar batida.

Entre os dias 26 e 30 de julho a entidade realizará o ‘Tributo a Virgolino: A Celebração do Cangaço – 120 Anos de Lampião’. Com uma extensa programação gratuita (confiram aqui) – serão 47 atividades culturais, entre filmes, espetáculos teatrais, exposições fotográficas, shows, quadrilhas juninas, poetas, contadores de causos e capoeiristas, entre outras.

Segundo a presidente da Fundação Cultural Cabras de Lampião, Cleonice Maria dos Santos a ideia é ir além do aniversário do célebre cangaceiro. “Esse é o mote para celebrarmos nossa cultura, valorizando o potencial de Serra Talhada, unificando diferentes linguagens artísticas“, afirma.

A movimentação cultural acontecerá na Escola de Referência em Ensino Médio Professor Adauto Carvalho (EREMPAC), no Colégio Municipal Cônego Torres, na área de alimentação da Feira Livre, no Museu do Cangaço e na Estação do Forró (antiga Estação Ferroviária),

Na agenda estão os grupos Sertão Frevo, As Belas da Vila, Resistência das Ruas e Gilvan Santos, além de Zé de Oliveira e Francinaldo Oliveira, Adênio Mourato no Forró de Todo Mundo, Damião Enésio e Zé Carlos do Pajeú, Rinaldo Aleixo e Zé Bartolomeu, Banda de Pífanos Santo Antonio, Grupo de Xaxado Cabras de Lampião, Bacamarteiros do Pajeú e Marquinhos do Acordeom e o Forró Danado de Bom.

Expectativa

Será exibido também, durante todos os dias do evento, o espetáculo “O Massacre de Angico – A Morte de Lampião”, sempre às 20h, na Estação do Forró, sob o lema “O Maior Espetáculo ao Ar Livre do Sertão Nordestino”. A expectativa é reunir mais de 50 mil pessoas nos cinco dias da temporada. À frente da encenação, que conta com 50 atores e 70 figurantes, além de 40 profissionais na equipe técnica e administrativa, está o diretor, ator e dramaturgo José Pimentel, que também integra o elenco no papel do cangaceiro Corisco. Antes da peça, será exibido o curta-metragem “Lampião e o Fogo da Serra Grande”, produzido pela Fundação Cultural Cabras de Lampião, que assina o festejo. Haverá ainda a Exposição “Fotografias do Cangaço”, de Paulo Rodrigues, no Museu do Cangaço. (Foto/divulgação)

Serra Talhada: Tributo a Lampião marcará os 120 anos do ‘Rei do Cangaço’

  1. Cidadão disse:

    Para estar completando 120 anos não pode ter nascido em 1987 e sim em 1897.

  2. rui2 disse:

    tributos para um sujeito que só coisas ruins praticou na vida mim diga uma bondade desse sujeito quantas atrocidades e ainda se faz chegar noticias desse bandido aos adolescentes um livro falando dessa alma sebosa tem um endereço certo lixo

  3. Pedrão disse:

    Se for mesmo 1987 o ano de nascimento, o danado ainda tá vivo

  4. centurion disse:

    TENHO DUAS CERTEZAS RUI 2,1 É QUE ELE TÁ MORTO, 2 E QUE VOCE SÓ FALA ISSO PQ ELE TÁ MORTO!

    1. rui2 disse:

      com certeza e se tratando de um bandido devemos ter medo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *