Sem-terras são presos suspeitos de participar de chacina no Agreste

por Carlos Britto // 23 de fevereiro de 2009 às 11:15

A polícia prendeu no último sábado (21) dois integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) suspeitos de participarem da chacina que matou quatro seguranças da fazenda Jabuticaba, no município de São Joaquim do Monte, no Agreste do estado.

Os agricultores Paulo Alves Cursino, 62 anos, e Aluciano Ferreira dos Santos, 31 anos, foram autuados na delegacia de Bezerros após o confronto e encaminhados ao Presídio de Caruaru.

Aluciano dos Santos é um dos líderes do movimento. A polícia suspeita que ele foi um dos autores dos disparos. Paulo Alves é apontado por dar cobertura aos atiradores com várias armas.

De acordo com a polícia, no momento da prisão celulares e quatro motos foram apreendidas. Nenhuma arma foi encontrada no acampamento. A polícia investiga a participação de uma pessoa identificada apenas como Romero, que fugiu ferido em um Corsa. A polícia levantou a hipótese dele ter dado vazão as armas utilizadas durante o confronto. Depois da fuga ele teria buscado atendimento no Hospital de Agrestina, e fugido depois de ser medicado.

Chacina

O crime aconteceu na tarde do último sábado (21), quando sem-terras tentaram invadir pela segunda vez a fazenda Jabuticaba. Na quarta-feira (19) foi dada a reintegração de terra ao dono da fazenda, cujo nome não foi revelado, que teria contratado quatro homens para fazer a segurança do local, após a saída dos agricultores.

João Arnaldo da Silva 40 anos, José Wedson da Silva, 26, Rafael Erasmo da Silva, 20 e Wagner Luiz da Silva, 25 foram assassinados por disparos de arma de fogo durante um confronto que se iniciou quando um grupo de sem-terras voltou ao local.

Fonte:pe360graus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *