Seguindo protocolos contra Covid-19, idosos de Petrolina terão Carnaval ‘adaptado’ este ano

0
Foto: Alexandre Justino/PMP divulgação

Os tempos difíceis provocados pela pandemia de Covid-19 não vão tirar a alegria dos idosos assistidos pelos Centros de Convivência de Petrolina neste Carnaval. Com a Folia de Momo cancelada, essa turma que esbanja animação terá direito a um novo formato para curtir a data festiva.

Num período marcado pelo distanciamento social, as equipes da prefeitura usaram a criatividade e não mediram esforços para levar – de porta em porta –  um momento de distração aos foliões da melhor idade. As visitas, que tiveram início nesta terça-feira (2), obedeceram todos os protocolos de prevenção à Covid-19 e foram organizadas pelos profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDESDH).

Uma das primeiras visitadas foi Dona Celina Fonseca, de 75 anos, a qual mostrou que ainda tem muito frevo no pé. “Eles vieram fazer um carnaval só pra mim. Eu não tenho nem palavras para dizer o que estou sentindo. Fiquei tão feliz quando abri o portão e vi todo mundo aqui. A gente não pode abraçar, mas a vontade é de abraçar cada um pra agradecer por essa coisa tão linda“, disse Dona Celina.

A secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Gláucia Andrade, lembra que os idosos sempre tiveram espaço garantido no Carnaval, contudo a folia deste ano precisou ser adaptada. “Nossos profissionais continuam fazendo um trabalho fundamental de acompanhamento, que vai desde os assistentes sociais até mesmo aos psicólogos. Todos os anos levávamos nossos idosos para brincar a folia na Praça 21 de Setembro, mas diante deste cenário de pandemia precisamos nos adaptar para não deixar de festejar, mesmo com tantos cuidados“, disse a gestora.

Serviço

As visitas coordenadas pelo Centro de Atenção à Pessoa Idosa (CAPI) seguem pelos próximos dias e vão contemplar todos os idosos assistidos pela prefeitura. Petrolina conta com três Centros de Convivência do Idoso: Vó Pulú (Vila Eduardo), Mimi Cruz (Alto do Cocar) e Rio Jordão (Rio Jordão). Ao todo, mais de 100 pessoas são assistidas nessas unidades.

Foto: Alexandre Justino/divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome