Secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação de PE participa de vídeoconferência e ouve demandas do Sertão em meio à pandemia

0
Foto: divulgação

O secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação e vice-presidente do Fórum Nacional de Secretarias Estaduais do Trabalho (Fonset), Alberes Lopes, participou na quarta-feira (29/04) de um encontro por videoconferência com a presença do presidente da FCDLs de Pernambuco, Eduardo Catão, do prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, do presidente do Sistema Fecomércio-PE, Bernardo Peixoto, e representantes empresariais de todas as regiões do Sertão do Estado – de Arcoverde até Petrolina. Lopes ouviu os relatos sobre as regiões, incluindo a diferença entre a economia e campo comercial diante da pandemia do novo coronavírus.

Ele recebeu sugestões e reivindicações dos setores produtivos para que pudesse encaminhar ao governador Paulo Câmara. “Essa reunião foi de extrema importância, porque pude saber as situações das regiões e como elas estão se comportando frente à pandemia que estamos vivendo. Além das sugestões que recebi, pontuei o que o governo do Estado vem fazendo para ajudar Pernambuco a combater essa pandemia. Falei também sobre o plano de ação socioeconômica que o governador tem durante esse momento difícil e pós-pandemia“, ressaltou o secretário.

O titular da Seteq lembrou que o governo do Estado vem trabalhando para salvar vidas e avançar com medidas que ajudem a evitar o contágio em massa. “Nesse período, a única forma de poder conter essa pandemia é o isolamento social, enquanto não se tem um remédio, nem vacinas para combater, é o que o mundo todo está adotando“.

Em divulgação, ontem (30/04), da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD Contínua), o país conta com a taxa de desemprego de 12,2% no primeiro trimestre encerrado em março de 2020. O desemprego, cresceu 1,3 ponto percentual em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2019 de 11,0% e caiu -0,5 ponto percentual frente ao mesmo trimestre do ano anterior, que fechava em 12,7 %. Segundo o secretário, é preciso ter cautela na leitura dos dados. “Apesar de ainda não temos dados regionais, a PNAD nos mostrou o desafio das pessoas que estão em busca por um emprego. É importante lembrar que os dados foram obtidos entre janeiro e março de 2020, então ainda não é possível ter noção da influência da epidemia no desemprego da população“, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome