Secretário de Wagner apresenta balanço de ações do governo baiano para minimizar efeitos da seca

0

Foto: Ascom Governo BAO secretário da Casa Civil do Governo da Bahia e coordenador do Comitê Estadual para Ações de Convivência com o Semiárido, Rui Costa, apresentou, na quarta-feira (24), um balanço do que vem sendo feito pela gestão Jaques Wagner em prol daqueles que sofrem com a longa estiagem. A audiência aconteceu na Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa da Bahia.

O secretário destacou os novos projetos para a região do semiárido, a exemplo da adutora de Juazeiro. O projeto ainda está em fase de elaboração e, quando pronto, a licitação será feita em Regime Diferenciado de Contratações (RDC). A adutora atenderá 38 municípios, beneficiando 1,1 milhão de pessoas.

Ela vai garantir segurança hídrica à região de Senhor do Bonfim, uma das mais castigadas pela seca. Com a conclusão apenas da primeira fase da adutora, cinco municípios serão atendidos e 202 mil pessoas serão beneficiadas.

A construção de 300 novos barreiros na Bahia, prevista para este ano, também fez parte das novas ações anunciadas. Um investimento de R$ 14 milhões, que vai beneficiar 50 municípios. Fruto de convênio entre o governo estadual, através da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), e o Ministério da Integração Nacional, a construção desses barreiros objetiva dar capilaridade à distribuição de água.

Mais barreiros também estão previstos para serem construídos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). As 130 unidades estão em fase de licitação, resultando num investimento na ordem R$ 7 milhões, que vai beneficiar, principalmente, a agricultura familiar e a população rural. Dentre as ações já concluídas, está a Adutora de Pedras Altas, que abastece 22 municípios e 173 localidades baianas. O investimento corresponde a R$ 59 milhões, levando água doce a uma população que, antes, era abastecida por água salobra.

Parceria

Em parceria com os consórcios de municípios em estado de emergência pela seca, R$ 25 milhões serão investidos em máquinas para estas entidades. Com as máquinas, os consórcios serão capazes de construir barragens subterrâneas, aguadas, barreiros e até estradas. Segundo o secretário Rui Costa, essas máquinas serão entregues nos próximos 60 dias. As informações são da assessoria do Governo do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome