Secretaria de Saúde de PE descentraliza diagnóstico de HIV e Hepatite C no Sertão

0
Foto: SES-PE/divulgação

Passada a fase de testes e acertos iniciada em julho, e dissipado o período mais crítico da pandemia da Covid-19, em Pernambuco, a XI Gerência Regional de Saúde (Geres), com sede em Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, abriu, agora de forma efetiva, o Laboratório de Saúde Pública para diagnóstico dos vírus do HIV e hepatite C. Por meio da identificação molecular em tempo real, uma equipe composta por quatro biomédicos, liderada pela responsável técnica Socorro Clementino, já começou a receber, no centro instalado em Serra Talhada, as primeiras demandas de material para a realização das análises para confirmar ou descartar o diagnóstico dessas doenças. Essa é a primeira descentralização desse tipo de diagnóstico para o interior do Estado feita pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE).

Por Serra Talhada localizar-se numa região central do Estado – a 400 km do Recife -, notou-se a necessidade de uma máquina de carga viral rápida para análises que encurtasse distâncias, com base na logística e localização geográfica da cidade sertaneja. Antes do laboratório da XI Geres, os exames para HIV e hepatite C, oriundos de cidades como Petrolina, tinham que ser levados para a capital do Estado, onde seriam investigados no Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE).

Com o funcionamento do laboratório da XI Geres, há um ganho de tempo inestimável para o controle dessas infecções em todos os dez municípios que compõem a Regional, além das cidades de Petrolina, Ouricuri, Araripina e Salgueiro, localizados na 4ª Macrorregião e que também enviarão suas amostras para o laboratório do Sertão.

De acordo com a biomédica e responsável técnica do laboratório da XI Geres, Socorro Clementino, “a nova metodologia permitirá a oferta de exames para a quantificação do RNA viral de HIV e hepatite C mais rápidos e em tempo oportuno, e servirá como uma oportunidade para a definição de fluxos municipais e estaduais mais ágeis quanto ao diagnóstico e tratamento das pessoas vivendo com essas doenças“.

A equipe técnica do laboratório recebeu treinamento intensivo da GeneXpert para utilização da máquina. A partir do equipamento automatizado, há a possibilidade de se analisar até quatro amostras simultâneas das coletas enviadas ao centro, num prazo de uma hora e meia. O laboratório da XI Geres passou a integrar, ainda, a Rede Nacional de Laboratórios para Quantificação da Carga Viral do HIV e hepatite C, composta por 84 unidades em todo o País.

Importância

Para a gerente da XI Geres, Karla Millene Cantarelli, esse novo laboratório de carga viral é de suma importância e vai possibilitar, além da avaliação quantitativa do RNA do HIV e hepatite C, fornecer informações importantes usadas em conjunto com a contagem de linfócitos CD4, para monitorar a infecção pelo HIV, para orientar o tratamento e para prever a evolução futura da doença. “A descentralização desse método diagnóstico é positiva para entregarmos os resultados de forma oportuna e mais rápida. Essa é uma metodologia nova e a tendência é que possamos ampliar para outras Regionais, possibilitando ao Estado intervenção mais assertivas para evitar novos casos de ambas as doenças“, completa a gerente do Programa Estadual de IST/Aids/HV da SES-PE, Camila Dantas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome