Secretaria de Saúde da Bahia divulga esclarecimentos sobre o zika vírus

0

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou, no último final de semana, o isolamento do vírus zika ativo (com potencial de provocar a infecção) em amostras de saliva e urina de pacientes infectados. Esse achado não implica, necessariamente, que o zika seja transmitido por essa via. Serão necessários estudos específicos para testar essa forma de transmissão, incluindo, entre outras questões, qual o tempo de viabilidade do vírus fora do organismo humano e se, após passar pelo suco gástrico, mantém sua capacidade de infectar as pessoas. A recomendação quanto às medidas de prevenção e controle dessa doença permanecem as mesmas já anteriormente divulgadas.

Até o momento as evidências epidemiológicas indicam que a Zika é uma doença de transmissão vetorial, ou seja, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Outras formas de transmissão podem ocorrer em menor proporção e estão sendo amplamente investigadas. Ressalta-se que os vírus HIV e Dengue também foram isolados na saliva, nunca se configurando uma via de contágio, como é do conhecimento de todos,

As implicações práticas do presente estudo da Fiocruz terão efeito na identificação de novas técnicas diagnósticas da doença (exemplo: testes rápidos na saliva). A recomendação quanto às medidas de prevenção e controle dessa doença permanecem as mesmas já anteriormente divulgadas. Para as gestantes, uma maior atenção e cuidado na exposição ao vetor. Pessoas que convivam com gestantes e tenham sintomas de zika devem ter uma responsabilidade adicional em relação aos cuidados com o mosquito transmissor e outras medidas que possam trazer risco à gestante.

A doença

Zika vírus é uma arbovirose recém-introduzida (abril 2015) no território brasileiro, primeiramente notificada nos estados do Nordeste – entre eles a Bahia.

Por ser uma doença emergente, poucos estudos foram realizados até então. Várias questões sob o ponto de vista do controle dessa doença precisam ser investigadas, entre eles a forma como o vírus é transmitido. No caso de identificação no sêmen, ocorreu apenas um caso descrito nos Estados Unidos da América e a doença não pode ainda ser classificada como sexualmente transmissível. Também não há descrição de transmissão por saliva (protocolo de vigilância e resposta à ocorrência de Microcefalia).

O modo mais importante de transmissão do zika é por meio da picada do mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue e chikungunya, e o principal vetor urbano das três doenças. O combate ao vetor se configura a principal arma contra a disseminação dessas doenças. Em relação às demais vias de transmissão, a identificação do vírus em líquido amniótico indica que este atravessa a barreira transplacentária, sendo esta a via de maior importância devido ao risco de dano ao feto.

Ações de combate ao mosquito foram intensificadas em todo o Estado da Bahia, no esforço coletivo e contínuo, em parceria com os municípios, sociedade civil, forças armadas, setores públicos e privados, na identificação dos criadouros e eliminação dos focos dos mosquitos. Diversas campanhas educativas estão sendo veiculadas para esclarecer toda a população da necessidade do seu engajamento e dos cuidados com a saúde, especialmente no combate ao mosquito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dezenove − dezesseis =