Saldo de empregos é positivo em Pernambuco no mês de julho, diz Caged

1
Foto: Seteq/divulgação

Pernambuco teve número positivo na geração de empregos no mês de julho, em meio a um ano atípico em virtude do cenário de pandemia provocado pelo novo coronavírus (Covid-19). Ao todo, houve 26.453 admissões e 21.829 desligamentos no Estado, resultando num saldo positivo de 4.624 trabalhadores com carteira assinada, de acordo com dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Em termos quantitativos, é o segundo melhor resultado do Nordeste.

Comparado ao mês de junho passado, quando houve um saldo de – 3.264 empregos, os números revelam a desaceleração do desemprego no Estado, mostrando uma reação da economia. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um avanço, segundo o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco, Alberes Lopes.

Em 2019, neste mesmo período do ano, registrou-se um discreto saldo negativo de 96 empregos. Agora, apesar das perdas, apesar do nosso luto, apesar da pandemia, estamos reagindo, como determinou o governador Paulo Câmara. O Estado sinaliza que a reação está acontecendo e vamos ter dias melhores. Precisamos confiar e lutar, como a gente já está fazendo. Precisamos resgatar a esperança“, disse o secretário.

Os setores que mais geraram empregos em Pernambuco foram indústria (2.470), agropecuária (1.252) e construção (1.095). O segmento de serviços, onde tradicionalmente o Estado tem muita força, ainda está negativo (-677 postos de trabalho). De abril a agosto, houve 622.126 acordos feitos por empresas em Pernambuco que, segundo o IBGE, mantiveram os empregos. Ainda no acumulado do ano, houve 175.907 contratações e 239.008 demissões, gerando um saldo negativo de 63 mil postos de trabalho no Estado.

1 COMENTÁRIO

  1. Análise errada essa do secretário do trabalho. Pernambuco só gerou mais empregos em julho deste ano do que no mesmo período do ano passado, porque recuperou um pouco dos empregos perdidos por conta da pandemia. E por falar nisso, nosso estado foi o que mais perdeu empregos formais no acumulado do ano dentre as regiões norte, nordeste e centro-oeste, perdendo de lavada para estados como Bahia, Ceará , Pará e Goiás. As medidas de combate à pandemia centralizadas no campo das princesas só trouxe falta de coordenação e distorções de medidas entre os municípios, penalizando locais que sequer tinha caso do vírus, o que só contribuiu para o aumento do desemprego; medidas essas tomadas por um governo incompetente e despreparado. Não sei o motivo da comemoração desse senhor!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome