Salário dos médicos do Samu em Petrolina é o pior de Pernambuco, segundo sindicato da categoria

9

SimepeO salário dos médicos que trabalham no Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (Samu), em Petrolina, é o pior do Estado. A informação foi repassada ao Blog por membros do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), que estiveram na cidade para discutir questões referentes ao serviço e ao Hospital de Urgências de Traumas (HUT).

A reunião, que aconteceu ontem (24) à noite, teve como objetivo cobrar da prefeitura e da própria Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) – no caso do HUT – medidas urgentes para solucionar os problemas de infraestrutura e aumentar o salário da categoria.

De acordo com o diretor jurídico do Simepe, o médico Tadeu Calheiros, os baixos salários que a cidade oferece fazem com que os profissionais não tenham mais interesse em trabalhar no Traumas ou no Samu. Essa questão fica mais evidente ainda no serviço móvel, já que não há mais escalas fixas devido a falta de médicos. Enquanto em Juazeiro um médico recebe entre R$ 8 mil e 10 mil, em Petrolina o salário é de apenas R$ 6 mil.

“As escalas lá não se repetem por mais de dois meses. Normalmente, quem cobre os buracos é o coordenador do Samu e ele se sobrecarrega porque não há profissionais suficientes. A falta de estrutura e o baixo salário são os motivos para que cada vez mais médicos, principalmente os contratados, deixem o serviço”, explicou Tadeu.

Infraestrutura precária

Os principais problemas do Samu em Petrolina são bem conhecidos, como a escassez de ambulâncias. Hoje (26), apenas duas unidades estão circulando na cidade, uma básica e outra avançada. Só que os transtornos não param por aí, de acordo com o diretor de Imprensa do Simepe, o médico Silvio Rodrigues.

“O Samu já passou por uma intervenção ética, um acordo foi firmado com a prefeitura, mas nada mudou. A falta de comunicação entre os profissionais, a estrutura local precária e a escassez de materiais são alguns dos problemas enfrentados por quem trabalha no serviço. Não há uma área adequada para o descanso dos médicos e as ambulâncias sequer possuem ar condicionado”, reclama.

Devido aos problemas, o Samu corre risco de ser interditado eticamente pelo Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). “Depois da fiscalização realizada recentemente, o Conselho enviará um documento à Secretaria de Saúde solicitando uma solução urgente para os problemas. Caso não seja resolvido, o serviço poderá sofrer nova interdição ética”, informou Silvio. O Blog reserva espaço para a Prefeitura de Petrolina dar sua versão para os fatos.

Por Monyk Arcanjo

9 COMENTÁRIOS

  1. Enquanto em Juazeiro um médico recebe entre R$ 8 mil e 10 mil por “24 horas de plantão”.

    TEM CERTEZA BRITTO????

    POR 24 HORAS DE PLANTÃO????

    KARAKA, ESTÃO GANHANDO MAIS QUE O PRESIDENTE DA FIFA MENSALMENTE .

  2. É simples filhotes de moeda.

    Já entrou sabendo o salário e ainda querem ganhar mais? Ah! Haja paciência.

    Eu estou também sem salário desde dez/2012 e nem por isso eu ando saindo divulgando a notícia.

    Emprego público para encostados como nós é assim. Aceite de boca calada. Ou então abram suas clícinicas e dêem um golpe no SUS.

  3. Carlos Britto, coloca outra matéria, que essa aí tá demais. O salário dos médicos tá pouco é? Então faz uma matéria sobre as outras profissões (fisioterapeuta, psicologo, enfermeiro, etc) Todas essas são tão importantes. O que tá acontecendo não é salário ruim e sim a demanda de profissional que tá aumentando. Impacto do governo de Lula com o aumento de universidades de medicina. A tendência é essa. Tá na hora de escrever melhor. Gosto muito de ler seu site, mas essa matéria foi demais (politicagem).

  4. muito pouco em comparação de juazeiro eu mesmo quero ser medico ou enfermeiro; tomara que deste ano para lá o salario aumente! onde está aquele nome – “a saúde em primeiro luga”…!.

  5. Caros amigos, já pararam pra pensar quantos anos um médico qualquer de “SAMU” estudou, e dedicou seu tempo para adquirir conhecimentos que salvam vidas todos os dias, se fosse uma tarefa fácil teríamos médicos em gradíssima escala, a ponto de não “necessitarmos” importar médicos cubanos. O nosso governo acha prioridade investir em estádios, por exemplo, em vez de saúde. Os hospitais públicos por vezes não apresentam condições dignas de trabalho, mesmo assim enfermeiros e médicos se viram como podem. Então, MUITO, É O QUE O GORVERNO ROUBA DE NOS TODOS OS DIAS, é não o salario de médicos e enfermeiros desse Brasil, ainda estamos longe de um salario justo, e condições dignas de trabalho!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome