Ricardo Salles não é mais ministro do Meio Ambiente

por Carlos Britto // 23 de junho de 2021 às 18:00

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro exonerou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) e informa que a exoneração foi a pedido de Salles.

No mesmo decreto, Bolsonaro nomeou Joaquim Álvaro Pereira Leite como novo ministro do Meio Ambiente.

A gestão de Ricardo Salles no Ministério do Meio Ambiente foi marcada por uma série de polêmicas.

Uma dessas polêmicas, por exemplo, envolve a reunião ministerial de 22 de abril de 2020. Na reunião, Salles sugeriu a Bolsonaro que o governo aproveitasse a pandemia da Covid-19 para “ir passando a boiada”, alterando regras ambientais.

Ricardo Salles também é alvo de inquérito, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), por supostamente ter atrapalhado investigações sobre apreensão de madeira.

A suspeita foi apresentada pela Polícia Federal. Salles nega ter cometido irregularidades.

Pronunciamento

Em manifestação no Palácio do Planalto após o pedido de demissão, Salles relacionou medidas que adotou à frente da pasta e reclamou das críticas.

Experimentei ao longo destes dois anos e meio muitas contestações, tentativas de dar a essas medidas caráter de desrespeito à legislação, o que não é verdade“, declarou.

Segundo ele, a sociedade espera “respeito” ao setor produtivo e à iniciativa privada. Salles destacou a necessidade de o Brasil ampliar as obras de infraestrutura e “continuar sendo o grande líder do agronegócio”.

O ex-ministro defendeu uma transição “serena”. “Para que se faça da maneira mais serena possível, apresentei meu pedido de exoneração“, disse. (Fonte: G1 Brasília)

Ricardo Salles não é mais ministro do Meio Ambiente

  1. Marcos disse:

    Este animal nunca protegeu o Meio Ambiente, pelo contrário, igual ao chefe, que pague pelos seus crimes.
    Não há mal que dure para sempre.
    Quem ainda defende este desgoverno, depois de tudo, não é caso de psicologia, mas de psiquiatria.
    Quem ainda o defende, são parcelas da segurança pública, e evangélicos alucinados.
    O escândalo do superfaturamento da vacina indiana está batendo a porta.

  2. Defensor da liberdade disse:

    Mas o governo se gaba de não haver denúncia de corrupção. Só a boiada que Salles disse que iria passar que acredita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *