Acusado de produzir fake news contra o SAAE Juazeiro dá sua versão

7
Foto: Ramiro Cordeiro/ Arquivo pessoal

Na última segunda-feira (6) o juiz da 1ª Vara de Fazenda Pública de Juazeiro (BA), José Goes Silva Filho, determinou que o comunitário Ramiro Cordeiro de Souza retirasse imediatamente das redes sociais um vídeo no qual acusa o Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) de estar fazendo cortes no fornecimento d’água durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A ação foi movida pela Procuradoria Geral do Município, que argumentou “que o réu praticou dano contra o interesse coletivo”.

Após ser citado na ação como réu, Ramiro Cordeiro enviou e-mail a este Blog para explicar sua versão do ocorrido. Confira:

Caro amigo (a),

Conforme foi publicada nesta terça-feira (7), no seu conceituado blog, matéria com o título “JUSTIÇA OBRIGA AUTOR DE FAKE NEWS CONTRA O SAAE A RETIRAR VÍDEO DO AR SOB PENA DE MULTA E DETERMINA SUA CONDUÇÃO À DELEGACIA”, a qual cita o meu nome como réu no processo, solicito a vossa senhoria o direito de resposta da matéria supracitada:

Vivemos tempos difíceis em Juazeiro. O prefeito Paulo Bomfim (PT), ao invés de cuidar da cidade e das pessoas, prefere mover ação e constranger um cidadão genuinamente juazeirense. 

A procuradoria do Município moveu uma ação e o dr. José Góes Silva Filho, juiz da Primeira Vara de Fazenda Pública de Juazeiro, proferiu decisão que determinou que fosse retirado imediatamente das redes sociais um vídeo onde acuso o SAAE de estar fazendo cortes no fornecimento de água, durante a pandemia do novo coronavírus. Na ação movida pela Procuradoria Geral do Município de Juazeiro, argumenta-se que eu pratiquei DANO CONTRA O INTERESSE COLETIVO.

A sentença prevê ainda que se notifique o delegado de polícia para que me conduza imediatamente a uma delegacia local, para apurar eventual cometimento de algum delito, através de Termo.

Respeito a decisão, inclusive já retirei o vídeo das redes sociais, mas acredito que a decisão foi extemporânea e desnecessária. Não sei se o magistrado assistiu ao vídeo produzido caseiramente e no calor do momento, mas nele se vê claramente que eu estava movido pela indignação, não há má fé ou dolo no interesse em produzir um fato, mas de reproduzi-lo e mostrar a minha indignação em meio a revolta.

De qualquer forma retirei o vídeo para desfazer o equívoco, porque a minha revolta não dá o direito de produzir uma inverdade sobre qualquer instituição.

O importante é que o meu vídeo, que foi enquadrado como fake news, serviu para que o SAAE não cortasse o fornecimento de água. A partir de repercussão do vídeo, o SAAE decretou que não haveria mais corte de água no município.

Gostaria de ressaltar que não é FAKE, é FATO; que o SAAE contratou uma empresa por R$ 55 milhões para fazer saneamento e verificar perdas de água; que a prefeitura contratou por R$ 3 milhões, com dispensa de licitação, a empresa do ex-prefeito de Petrolina; que somente no mês de março o prefeito nomeou 45 aliados, impacto na folha de pagamento de mais de R$ 150 mil; que a rejeição beira a casa dos 85% e que muitos candidatos não querem apoiá-lo para reeleição.

Quem se alegra com a decisão do juiz contra o mim deveria repensar e lembrar da prisão do ex-presidente Lula, como foi dolorido para muitos, que inclusive, até hoje cobram reparação pela suposta injustiça. Ou tudo não passou de encenação?

Ramiro Cordeiro de Souza/Cidadão juazeirense

7 COMENTÁRIOS

  1. Mas foi fake cara, não tem direito de fazer vídeo com notícias falsas.
    Faz o seguinte, faz um vídeo mostrando sua indignação com
    as buraqueiras das ruas,
    muriçocao,
    as sinaleiras mal posicionadas
    O trânsito infernal e não fazem nada
    A lixeira gigante que é a cidade
    A saúde péssima gerida por uma secretaria de saúde que só ver seus interesses

    E por aí vaiiiii sem fim, motivos infinitos.

    Juazeiro sempre vai ser uma periferia de Petrolina, mal cuidada, enquanto não mudarem esses políticos ladroes e enquanto votarem em nomes sem formação alguma.

    Como é que colocam um garçom? Chegaram ao cúmulo. Parabéns. Boa sorte.

  2. Fica a sugestão para uns 100 ou mais principais empresários e comerciantes de Petrolina se juntarem e adquirirem máscaras de tecido e distribui entre familiares, amigos e clientes e com isso a chance de contaminação na cidade cai ainda mais e consequentemente o comércio e serviços podem voltar aos poucos.
    Após se juntarem esses empresários lançam o convite para todos os empreendedores da cidade para cada um doar quantas máscaras puder.

  3. Se seu vídeo, de fato, foi FAKE NEWS, você agiu totalmente péssimo! Certo que, não falta meios e motivos para expressar nossa revolta quando nos convém, mas, que seja verdadeiro e honesto primeiramente consigo mesmo e depois com o próximo que depende das notícias verdadeiras em nossa sociedade. Já não basta o preço que estamos pagando com a difusão de tantas FAKE NEWS oriundas do gabinete do ódio, de um governo que não faz absolutamente nada, a não ser, lançar nas redes sociais falsas notícias de obras, ou quando não, jogam mentiras para caluniar opositores? Sem falar do nosso desafio para provar aos desprecavidos de inteligência que tudo aquilo é mentira!
    Enfim, na próxima, aja como cidadão, e assim, estaremos todos contigo.

  4. Na minha opinião a justiça deveria agir de forma rápida e rígida para punir esse tipo mal caratismo ou até conduta criminosa de de ser leviano com as pessoas públicas ou não, é crime do mesmo jeito.
    Foi através desse tipo de prática que criou-se um presidente incompetente que temos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome