Promessa do boxe brasileiro, petrolinense João Victor mira Olimpíada de 2024

0
Crédito: Gabriel Siqueira

Ele é petrolinense, tem apenas 18 anos e um caminho promissor no mundo do boxe. Em apenas três anos de carreira, o jovem João Victor Gomes vem se destacando em competições no seu país e também fora dele.

Atualmente Treinando pela Sociedade Esportiva Palmeiras, de São Paulo, João Victor é o bicampeão brasileiro juvenil peso-pesado (91 kg). Foi com esse currículo que ele recebeu a convocação para integrar a equipe brasileira de boxeadores que disputou esse ano o Torneio Juvenil Emil Jechev na Bulgária.

De um grupo de quatro atletas, apenas um já tinha experiência por ser campeão olímpico juvenil; os demais eram todos inexperientes. Mas foi justamente João quem obteve o melhor resultado da turma: uma medalha de Bronze. No entanto o garoto já conquistou outros títulos no ano, o que o credenciam a alçar voos mais altos em breve.

Ele treina duro para alcançar um objetivo de curto a médio prazo: ser selecionado para a equipe brasileira. A meta, segundo João, é poder disputar a Olimpíada de 2024, pois para a de Tóquio não será mais possível porque precisaria estar entre os atletas que já estão definidos. “Se tudo der certo, com fé em Deus, 2024 é meu objetivo”, prevê.

João Victor com seu mentor Sebastian/Crédito: Gabriel Siqueira

Vida dura

Mas a vida nunca foi fácil para João. Há apenas três anos ele era um dos potenciais talentos da equipe ‘Forja de Campeões’, fundada há 20 anos no Bairro José e Maria e que engloba outro projeto – o ‘Boxe Livre’, existente há 10 anos. “Eu treinava numa praça e via vários usuários de drogas, do outro lado, mas procurava uma melhoria para minha vida longe daquilo”, lembrou.

O cara que ajudou João a focar no seu sonho e a mantê-lo bem distante de uma realidade cruel chama-se Sebastian Torres. Técnico de boxe e membro da Federação Pernambucana, ele está à frente do projeto em Petrolina e garante que há outros jovens na cidade que podem seguir a mesma trilha vitoriosa de João.

De acordo com Sebastian, do início do projeto até hoje as dificuldades são quase as mesmas, mas já houve pequenos avanços. “Antes a situação de treino era precária, mas graças primeiro a Deus e a algumas parcerias, como a promotora de justiça Isabela Moisés, temos uma estrutura muito boa. Nas redes sociais ela é mais conhecida por Bela Boxe, foi um anjo que Deus colocou em nossas vidas. Hoje ela é a mantedora número um do projeto”, frisou.

Sebastian disse ainda lamentar a falta de apoio das lideranças políticas da cidade. “Eu desisti de procurar ajuda de política. Infelizmente a Secretaria de Esporte existe só no papel, principalmente para uma atleta do quilate do João Victor, que não precisa provar mais nada para o Estado, nem para o país”, desabafou. Ele fez questão de ressaltar que o foco principal do projeto é com a inclusão social. “É óbvio que aqueles que têm talento, que querem e os pais autorizam, por são menores de idade, a gente vai dar seguimento para o alto rendimento, para competições. Mas costumo dizer que antes de fazer um campeão nos ringues, a gente tem de fazer um campeão para vida”, finalizou.

A sede do projeto funciona no José e Maria (Rua Nilo, nº30). Quem quiser mais detalhes pode entrar em contato com Sebastian pelo telefone (87) 9 8811-7542. Há também o Instagram (Sebastian_boxing_coach ou @forjadecampeõesoficial). O Instagram de João é o Vitrsilva_. Os critérios para participar do projeto são garotos e garotas dos 10 aos 16 anos, que estudem na rede pública de ensino, tenham bom comportamento e boas notas. Além de Bela Boxe, os apoiadores de João Victor são Performance Nutricional, Salutre Nutricional, Alessandra Paula (nutricionista), Edu e Aurélio Barbearia e Clayton Sales.

Atualizada às 7h19

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

13 − seis =