Professores e estudantes da Univasf percorrem polo gesseiro do Araripe

por Carlos Britto // 04 de dezembro de 2021 às 16:45

Foto: Univasf/divulgação

Estudantes e professores da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) percorreram, durante três dias, três cidades do Polo Gesseiro do Araripe, no Sertão pernambucano, em visitas técnicas a mineradoras, calcinadoras e fábricas de pré-moldados. A viagem de campo ocorreu no mês passado, como parte das atividades de cinco Projetos de Extensão Tecnológica (PET) da Univasf, que contam com apoio da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe) para, entre outros benefícios, aproximar a instituição e o setor produtivo, fortalecendo tanto a atividade econômica quanto a formação dos estudantes.

Participaram da visita técnica 35 bolsistas PET de diversos cursos de Engenharia e os professores Alan Christie da Silva Dantas, do Colegiado de Engenharia Mecânica (Cenmec); Edson Leite Araújo, do Colegiado de Engenharia Civil (Ccivil); e Lino Marcos da Silva, do Colegiado de Engenharia Elétrica (Cenel). As visitas também contaram com a participação da presidente do Sindicato da Indústria do Gesso do Estado de Pernambuco (Sindugesso), Ceissa Costa, e de empresários do polo, que reúne em torno de 170 indústrias calcinadoras, 30 mineradoras e mais de 400 fábricas de pré-moldados e gera mais de 13 mil empregos.

Os visitantes estiveram nas cidades de Araripina, Ipubi e Trindade, onde acompanharam todo o processo de fabricação do gesso, desde a extração do minério gipsita, passando pela calcinação e produção do gesso e seus derivados, até a etapa de embalagem, armazenamento e distribuição. Também estiveram nos laboratórios do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em Araripina. A atenção do grupo estava voltada não apenas para conhecer cada etapa dessa cadeia produtiva, mas principalmente às possibilidades de contribuição que podem ser implementadas para a melhoria dos processos.

A atividade, de acordo com o professor Lino Silva, coordenador do projeto ‘Explorando a Ciências de Dados no Polo Gesseiro do Araripe’, proporcionou aos participantes contato direto com a cadeia produtiva e a oportunidade de conhecer uma promissora área de atuação durante, na forma de estágios e projetos, e após a graduação, já como profissionais. “Foi uma experiência enriquecedora, porque permitiu aos estudantes conhecer de perto toda a cadeia produtiva do gesso, identificar problemas e oportunidades nas várias etapas do processo de produção, trocar informações com empresários e funcionários para, na próxima etapa do projeto, propor soluções, principalmente no sentido da inovação e modernização do setor”, relatou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *