Professora lançará hoje na Facape livro sobre corrupção nas universidades

por Carlos Britto // 22 de novembro de 2023 às 09:00

Foto: divulgação

A professora universitária Zélia Ramos fará o lançamento de seu primeiro livro nesta quarta-feira (22), com o título “A vulnerabilidade das Instituições de Ensino Superior à Corrupção”. O evento será realizado às 19h na biblioteca da Faculdade de Petrolina (Facape).

Com um tema inédito e onipresente, a obra foi produzida a partir das experiências da autora em seu doutorado, realizado em Évora (Portugal). Nela são abordados vários aspectos que envolvem a corrupção instalada nas instituições de ensino superior.

Segundo a escritora, a corrupção é um fenômeno que afeta diversos níveis das instituições e o livro evidencia o caráter pessoal, a responsabilidade moral e ética, os corruptores e os corrompidos nele envolvidos. Organizado em três partes e com um total de onze capítulos, o livro aponta as características e modalidades da prática corruptiva nas universidades, expõe sintomas, as causas e os tipos. Fundamentada em suas muitas pesquisas acadêmicas, Zélia Ramos explica que “a sociedade que não adota comportamentos éticos e condescende com a corrupção, fatalmente desmorona“.

Zélia Ramos é doutora em Filosofia pela Universidade de Évora. Natural do Recife, chegou a Petrolina em 1977 e foi professora da Facape por 35 anos. A autora tem vasta experiência acadêmica com a publicação de vários artigos científicos, na organização de livros e e-books. Feliz com o lançamento do livro, Professora Zélia convida a todos para o evento: “Sintam-se todos convidados ao evento de lançamento do meu primeiro livro, onde estarei à inteira disposição para dialogar com os presentes e os possíveis leitores“.

Professora lançará hoje na Facape livro sobre corrupção nas universidades

  1. Sempre Atento disse:

    Se fosse só a corrupção tava bom, o pior as universidades estão deixando a juventude burra,muitos deles não sabem nem o que é um S na placa de trânsito, agora defender ladrões, brigar por gêneros ,defender abortos querem que os filhos dos outros sejam iguais a eles como mulheres e homens fiquem agarrando-se como fosse a coisa mais normal do mundo,é isso que as universidades estão ensinando, imagina daqui a 20 anos como estará o país com essa raça sem cérebro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Últimos Comentários

  1. A verdade é a seguinte: só vai, só funciona assim. Não adianta conversinha com essas OTORIDADES. Essas OTORIDADES têm compromisso…