Professora lamenta situação do Abrigo Anjo da Guarda, no Loteamento Recife

6

abrigo anjo da guardaabrigo anjo da guarda2abrigo anjo da guarda3Inconformada com a situação pela qual vive o Abrigo Anjo da Guarda, no bairro Loteamento Recife, em Petrolina, a professora e doutoranda em Zootecnia, Elisângela Maria de Souza, chama atenção para o problema. Neste artigo, ela também lamenta o fato de que uma unidade do Nova Semente, instalada no mesmo espaço, tenha contribuído para prejudicar o funcionamento do abrigo.

Confiram:

As Unidades de Abrigo devem primar em sua missão pela defesa dos princípios elencados na Lei 8.069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA. Entretanto, esta não corresponde à realidade do Abrigo Anjo da Guarda, situado na Rua 24, nº 70, Loteamento Recife, Petrolina-PE. O abrigo foi implantado em 2002, objetivando promover o abrigo temporário de crianças de 0 a 7 anos, do sexo masculino, e de 0 a 17 anos do sexo feminino, em situação de risco social, garantindo-lhes os cuidados como educação, cultura, esporte, lazer, saúde, nutrição e bem-estar em geral, amparando psicológica e fisicamente.

Em outubro de 2013 o governo municipal inaugurou nas instalações, onde já funcionava o abrigo, uma unidade do Programa Nova Semente, apresentada como a primeira creche 24 horas do município. O abrigo funcionava até “bem”, mas o Nova Semente trouxe um grande desconforto para os abrigados, tirando-lhes a privacidade, a paz, a harmonia e a saúde.

Inicialmente, houve um corte geral de funcionários, restando apenas duas pessoas do quadro, além da vigilante e de uma funcionária de serviços gerais. As mesmas, incansável e diariamente, fazem um esforço sobre-humano para atender a demanda de serviços, tais como limpeza e segurança do prédio, lavar e passar roupa, cozinhar e higiene das crianças, sem falar que tem uma cadeirante e dois bebês que necessitam de maior atenção.

O quadro da cadeirante é lamentável e triste: seus tratamentos foram interrompidos, pois não há funcionário disponível para levá-la à fisioterapia e ao fonoaudiólogo. Faltam atividades de lazer, esporte, cultura, arte e espiritualidade, ou seja, atividades importantes para a autoestima e reinserção familiar e comunitária dos abrigados, o que só ocorre mediante visitas de escolas, da Univasf, de Igrejas, da comunidade em geral.

E a estrutura física? As crianças dormem no chão, em colchões finíssimos, o quarto tem goteiras, paredes sujas e janelas quebradas. No berçário, os colchões são velhos e sujos. O banheiro possui apenas dois vasos sanitários inapropriados (grandes e sem tampas). E a saúde? A água que bebem não é filtrada. A alimentação é restrita e feita sem nenhuma orientação profissional.

Vejam que absurdo! Acham pouco? Com tudo isso, ainda há falta de segurança. Em plena luz do dia, quatro crianças fugiram do abrigo. Enfim, quero deixar claro aqui que não tenho nada contra o Nova Semente, e sim à maneira como foi implantado no abrigo – cheio de atropelos, sem nenhuma garantia aos que fazem uso dele no tocante a serviços essenciais como educação, cultura, esporte, lazer, saúde, nutrição e bem-estar em geral, o que também compromete o bem estar dos internos, tanto no aspecto psicológico e/ou físico.  No entanto, penso ser legítimo tudo isso ser dito, e mais ainda exigido, em prol de providencias cabíveis à melhoria daquele lugar.

Elizângela Maria de Souza/Professora

6 COMENTÁRIOS

  1. Sou moradora ( e ex- fucionária do abrigo casa anjo da guarda) do bairro e endosso o comentário da professora Elisângela Maria. O abrigo Casa Anjo não funciona mais como antes. A implantação da nova semente prejudicou sem sombra de dúvidas. Cadê as autoridades competentes para solucionar mais um problema onde as crianças é que são prejudicadas?

    • Luciene quando a Nova Semente chegou na casa anjo já havia muito grude tenho certeza que vc sabe disso não foi Nova Semente que destruiu a casa Anjo ela já estava com problemas porque só agora veio a tona a falta de estrutura?

  2. Estive na creche e constatei tudo o que diz a professora. Entrei em contato com três deputados (Odacy, Adalberto Cavalcanti e Paulo Rubens) denunciando não só o estado da creche, mas também o absurdo descaso do prefeito da cidade, que segundo sei é ciente de tudo o que se passa. Contudo, os referidos políticos nada fizeram. É uma tristeza, mas há solução: não votar em Julio Lossio ou em qualquer outro político de sua …..

  3. O cenário de descaso aos direitos previstos na legislação são evidentes… Onde está a Vara da Infância e da Juventude??? o Ministério Público???? o Conselho Tutelar???? a Sedesc????? Cadê as autoridades???? A justiça é cega e as leis são para poucos de fato?????

    O horror denunciado revela o descaso da atual administração (“pessoas em primeiro lugar”)…

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome