Prestadores de serviço da limpeza pública protestam em frente à Prefeitura de Petrolina por pagamento de rescisão

7

terceirizados-sintra-protesto-prefeitura

Funcionários terceirizados da empresa Sintra, que prestava serviços de limpeza à administração municipal de Petrolina, promoveram uma manifestação no final da manhã de hoje (19) em frente ao prédio da prefeitura para cobrar direitos trabalhistas. Mais de 100 trabalhadores lutam para receber seus direitos há um mês, enquanto outros 22 ex-funcionários tiveram seus contratos rompidos há quase 90 dias.

Segundo eles, os contratos foram cancelados, sem aviso prévio, e de lá pra cá já ouviram várias promessas, mas continuam sem receber. A maioria ainda não conseguiu um novo emprego porque a empresa não deu baixa na carteira de trabalho.

O presidente do Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores em Limpeza Urbana e Terceirização de Mão de Obra (Siemaco-PE), João Soares, disse que a empresa ainda não passou para a prefeitura a relação dos funcionários que prestavam serviços. “A gente vem tentando [negociar] com a empresa, que ainda não passou a relação dos funcionários para a Prefeitura efetuar o pagamento. São 130 trabalhadores com esse problema de verbas rescisórias. Eles reivindicam que a prefeitura interfira na empresa, que é terceirizada”, explicou.

Conforme os prestadores de serviço, eles estão sem dinheiro até para manter a alimentação da família. “A gente nem sabia que estava de aviso [prévio]. Eles colocaram 22 pessoas para fora há quase três meses, depois colocaram o resto. Estamos com dificuldades, contas atrasadas. A secretária Tatyanne Lima foi intimada pelo Ministério do Trabalho e não compareceu, ela mandou um funcionário que não tinha nada a ver com a situação. Somos pais de família, passando necessidades. Tem gente aqui que nem café tomou [hoje]”, contou Geraldo Alves, que foi demitido.

Outros funcionários disseram que, caso a situação não se resolva, eles vão acampar na frente da prefeitura. “Nós somos trabalhadores, isso não pode acontecer. A gente só quer o que é direito nosso”, disseram. O Blog não conseguiu contato com a empresa Sintra para comentar sobre o caso. Já a assessoria de comunicação da Prefeitura se comprometeu em enviar uma nota de esclarecimento sobre o assunto.

7 COMENTÁRIOS

  1. E desde quando a prefeitura tem obrigação de intervir em assuntos internos da empresa de terceirização? É cada uma viu? Vão lá e acampem de frente a prefeitura, quero ver a guarda municipal em ação de novo, espero que façam do mesmo jeito que fizeram com os vagabundos do vale acordou em 2013: pau na moleira, spray de pimenta e arma de choque! Tem remédio melhor para baderneiro?

      • Súmula nº 331 do TST

        IV – O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do empregador, implica a responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços quanto àquelas obrigações, desde que haja participado da relação processual e conste também do título executivo judicial.

        Ou seja a prefeitura só pode assumir o subsídio através de decreto judicial, e pelo que se consta na matéria, ainda não houve um processo instalado na justiça.

  2. Prefeito Júlio lossio tenha vergonha tanto dinheiro que vc ….da nossa cidade, pague direito a esses pobres coitados trabalhadores! PETROLINA TEM QUE OBSERVAR oQ ESTÁ acontecendo o cara que embolsar até o dinheiro do trabalhador? DIA 2 PETROLINA QUER MUDANÇA É MIGUEL 40
    #novotempo #fechadocommiguel

    Pare de usar meu nome seu fake

    Ass:o original “cego às avessas”

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome