Exclusivo: Presidente da OAB-PE repudia atitude de advogado pernambucano com mulher russa na Copa do Mundo

5
Ronnie Duarte, presidente da OAB-PE. (Foto: Blog do Carlos Britto)

Circula na internet, desde o último final de semana, um vídeo gravado na Rússia, onde torcedores brasileiros aparecem em volta de uma moça russa, falando obscenidades e palavras grosseiras. Nas imagens é possível perceber que a jovem não entende português e tenta participar do que parece “brincadeira”, já que está cercada por quase uma dezena de homens. Vestidos com camisa da Seleção Brasileira, eles repetiam uma frase referente a genitália dela. A atitude provocou revolta nas redes sociais.

Um dos envolvidos no ato de machismo já foi identificado como Diego Jatobá,  que é advogado e ex-secretário de Turismo do município de Ipojuca, Litoral Sul pernambucano. Segundo informações da imprensa do Recife, Jatobá estaria com pretensões de se lançar candidato a deputado estadual nestas eleições.

Vídeo de brasileiros hostilizando russa. Advogado pernambucano Diego Jatobá à esquerda da mulher. (Foto: Reprodução)

O Blog não conseguiu contato com ele para comentar o caso, mas conversamos com exclusividade com o presidente da Ordem dos Advogados da Brasil em Pernambuco (OAB-PE), Ronnie Duarte, que está visitando Petrolina, e repudiou a ação. “Foi um episódio lamentável. Foi um ato coletivo e eu acho que todos deveriam ser identificados, aí serviria para fazer uma imputação mais justa”, afirmou Ronnie.

Para o presidente da OAB em Pernambuco, o ato representa “um momento de vergonha para todos os brasileiros, não apenas mulheres, não apenas advogados”. Ele acha que todos os envolvidos deveriam “sofrer com as consequências e responder pela infelicidade, que foi aquele momento de desconsideração, de desrespeito e ofensa a uma mulher russa. Independentemente da nacionalidade, ela merece toda consideração e é portadora da dignidade, que é inerente a qualquer pessoa humana”.

Conduta

Ronnie Duarte também disse que não há como eles serem punidos no Brasil, uma vez que o caso aconteceu na Rússia. “O crime foi praticado na Rússia, então ele não poderia responder no Brasil. Em relação à OAB, ela tem um poder de atuação no sentido da asseguração de padrões éticos de conduta por parte dos advogados, mas naquilo que diz respeito no exercício da profissão. Aquilo que não foi cometido no exercício da profissão não está sujeito a tutela do nosso tribunal de ética e disciplina. Então, a OAB não teria condições, mesmo que aquilo tivesse sido feito no Brasil, de abrir um processo ético-disciplinar”, finalizou.

5 COMENTÁRIOS

  1. Parabens ao Presidente da OAB/PE. O colega fez uma molecagem e realmente desrespeitou a mulher russa. Entretanto, isso não é motivo para um processo no Tribunal de Etica da entidade.
    Eu conheço dois casos gravissimos envolvendo advogados. Um que atirou na cabeça da então esposa e nunca foi condenado na Justiça, muito menos pelo Conselho de Etica.
    Outro advogado, penalista conhecido, querendo justificar o ato de um filho que matou a ex mulher e feriu os dois filhos, disse que tinha sido atitude de homem. O Conselho de Etica não fez nada.
    Isso para ficar em dois exemplos grotescos.
    Agora querem punir uma molecagem feita no exterior. Vai procurar o que fazer OAB.

    • Rapaz, acho que você não leu a matéria. O presidente da OAB repudiou a atitude, porém informou que a ordem não teria como realizar uma punição, mesmo que o caso tivesse acontecido no país, posto que não se trata de algo relativo ao exercício profissional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome