Prefeitura nega ter proibido circulação da Joafra em Petrolina e diz que empresa pode operar em linha interestadual

8
Foto: Arquivo/Blog do Carlos Britto

Após a Prefeitura de Petrolina anunciar o serviço de integração entre ônibus e barquinhas de Petrolina a Juazeiro, a empresa Joafra novamente se pronunciou sobre a suspensão de seus serviços entre as duas cidades. Segundo a gestão municipal, a Joafra teria suspenso o serviço por decisão própria, mas a empresa diz ter sido proibida de operar na cidade.

Em nota, a Joafra diz que “O município de Petrolina, através da AMMPLA, publicou portaria, proibindo que a empresa adentrasse o município, ficando apenas a empresa Atlântico autorizada a circular nas ruas. Portanto a Joafra parou de operar a linha por ter tido seu veículo apreendido sob forte força coercitiva da polícia militar, agentes de trânsito e fiscais de transporte da Ammpla, ou seja, a Joafra não parou de operar a linha por vontade própria”, diz a nota da empresa.

A Prefeitura de Petrolina por sua vez, esclareceu, também em nota, que na verdade teria havido “ruído de comunicação” e que a empresa pode sim manter seu trajeto no município, desde que, este seja feito apenas nas linhas autorizadas.

Apenas linha interestadual

De acordo com a gestão, “a Joafra não possui licença para fazer o transporte intramunicipal (dentro do município de Petrolina). Por este motivo, ela foi notificada, em ofício enviado no dia 20 de maio, através do qual a Ammpla informou sobre a proibição de fazer este transporte de passageiros, tendo em vista que, apenas a empresa concessionária, ‘Atlântico Transportes’, detém o direito legal de exploração das linhas urbanas. Essa notificação só foi necessária porque a empresa vinha circulando justamente nestas rotas intramunicipais não autorizadas descumprindo assim a legislação”.

Ainda em nota, a gestão diz que a “Joafra detém autorização para circular, exclusivamente, na linha interestadual entre as cidades de Petrolina e Juazeiro indo até a rodoviária para fazer embarque e desembarque de seus passageiros.”

A prefeitura também informou que um novo ofício será encaminhado à Joafra nesta quarta-feira (27), ratificando que a empresa tem direito de manter seu trajeto até a rodoviária, até porque esse roteiro não está dentro das competências da Ammpla e sim dos órgãos federais.

8 COMENTÁRIOS

  1. Adianta de que o ônibus trafegar até a rodoviária e as pessoas que trabalham na cidade universitária e na areia branca fica como?? Eu tô vindo trabalhar de barquinha e pra chegar no meu trabalho vou a pé trabalho na areia branca e a integração na barquinha é com o cartão do SIMM

    • Quando a pessoa procura um trabalho tem que calcular distância, serviço de transporte, custo benefício. A única solução seria você arrumar um emprego mais próximo de sua residência ou tentar um aluguel próximo de seu trabalho.

  2. Pelo que entendi o passageiro, se quiser ir de ônibus para Juazeiro terá que se deslocar ao terminal rodoviário para a “longa” viagem ou vai de barquinha ou andando pela ponte. Simples assim.

  3. Muito bem prefeito , parabéns em prejudicar os usuários para favorecer os empresários dessa empresa de transporte, a linha da joafra sem a rota que fazia vai prejuízo muitas pessoas que necessitam dela para chegar ao trabalho. Mas dinheiro o usuário terá que tirar do bolso . Tudo uns calhordas sempre visando prejudicar a população , com a desculpa dessa pandemia está em perseguição da empresa e por sequência prejudicando a população.

  4. “Cantei essa pedra”. É ilógico, a Joafra era a única empresa que tem concessão federal que em vez de encerrar seu trajeto na rodoviária trafegava como se fosse um ônibus coletivo, de concessão do município, deixando e pegando passageiros de ponto em ponto. Sei que muita gente vai se sentir prejudicada, mas regra é regra, lei é lei. Agora a Prefeitura Municipal criou a integração ônibus e barquinha, pagando-se apenas uma passagem. Agora é cobrar da Prefeitura de Juazeiro o mesmo serviço.

  5. A solucao seria criar o Estado do São Francisco e juntar Petrolina e Juazeiro em um só município. Até lá transporte intramunicipal é uma coisa, transporte interestadual é outra.

  6. A passagem pelo que entendi ela vale 1 hora se pegar o ônibus e depois a barca .E quem trabalha em regime de plantão 12 horas a passagem da barca é 1real e pouco e no cartão sim é de 3.50 qual a vantagem para o usuário nenhuma a passagem interestadual é de 3.00 reais só transtorno por passeiro

  7. Isso chama-se perseguição. Já passei por isso em outra categoria. Como sempre o usuário é quem sai prejudicado. Briga de poder e política. Tem alguém cego aí, tentando defender fulano ou sicrano?. Conheço essa história de perto e de longa data.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome