Prefeitura de Santa Cruz compromete-se com ordenamento da 26ª Festa do Vaqueiro e Tropeiro

por Carlos Britto // 01 de maio de 2024 às 21:35

Foto: Google/reprodução

Em Santa Cruz (Sertão do Araripe), o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por intermédio da 1ª Promotoria de Justiça de Ouricuri, na mesma região, firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a prefeitura e a Polícia Militar (PMPE) para a organização e segurança da 26ª Festa do Vaqueiro e Tropeiro. O evento é aberto nesta quarta (1) e vai até amanhã (2), no Pátio de Eventos Gabriel Carlos Soares.

No TAC foram estabelecidos horários para o início e encerramento da festa, que atrai visitantes de todo o Sertão do Araripe. Nos dois dias, os shows serão iniciados às 22h e se estenderão até às 4h30 – com tolerância de 30 minutos para a dispersão do público. A cada término deverão ser desligados todos os equipamentos de som existentes no pátio de eventos, durante o período de dispersão da população.

De acordo com o promotor de Justiça de Ouricuri, Manoel Dias da Purificação Neto, a definição de horários para a realização dos shows (Tayrone, Calcinha Preta, Mari e Rayane, no dia 1º; e Tarcísio do Acordeon, Klessinha, Bartô Galeno e Bartozinho, no dia 2) se faz necessário para dispersar a população ao final da festa, evitar o acréscimo do número de ocorrências policiais e o desgaste natural do efetivo policial.

A Prefeitura de Santa Cruz, de acordo com o TAC, deverá buscar junto ao Corpo de Bombeiros Militar (CBMPE) a vistoria necessária para a realização do evento; instalar banheiros químicos em quantidade suficiente para atender o público; cadastrar os vendedores ambulantes e orientá-los a não vender bebidas alcoólicas a menores de idade e sobre a proibição de uso de recipientes de vidro no local da festa; fazer o controle de acesso do público e contratar serviço de segurança privada para a realização de revista pessoal de todas as pessoas que ingressem no evento, com a utilização de detector de metal.

Segurança

Já a PMPE garantirá a segurança do evento, desde o planejamento até a execução das ações relacionadas ao policiamento ostensivo. Deverá, ainda, auxiliar os organizadores do evento no cumprimento dos horários de encerramento dos shows, bem como na fiscalização do uso de vasilhames de plástico pelos comerciantes e público em geral e coibir a emissão de sons por meio de equipamentos sonoros em estabelecimentos comerciais, barracas ou automóveis, após o horário de encerramento de cada evento.

A íntegra do TAC foi publicada na edição do Diário Oficial Eletrônico do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) da última segunda-feira (29/04).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Últimos Comentários

  1. Um Petrolinense real, assim foi Fernando, pois uns chamado carinhosamente de besourinho. Eu me lembro muito bem do SAMBOSSA, Fernando,…