Prefeitura começa a transferir famílias do Angari e reforça manutenção em barragem

por Carlos Britto // 12 de janeiro de 2023 às 08:20

Foto: Luan Medrado/Ascom PMJ

Em Juazeiro (BA), as famílias que moram na parte mais baixa do bairro Angari deverão, mais uma vez, receber assistência da prefeitura. O motivo é que o local deve ser alagado nos próximos dias por causa do aumento da vazão do Rio São Francisco, que deve chegar a 4.000 m³/s já neste final de semana, conforme a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Eletrobras Chesf) já tinha adiantado.

O trabalho de transferência dos moradores está sendo conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES) e Defesa Civil, com apoio de outros setores da gestão municipal. Sete famílias devem deixar o Angari.

A prefeitura já está com tudo pronto para fazer a mudança dos móveis e ajudar no deslocamento dos moradores, que ficarão abrigados em imóveis adequados com sala, dois quartos, banheiro, cozinha e área de sol. A privacidade das famílias será mantida, pois elas serão abrigadas em imóveis separados, que ficam localizados bem perto das suas moradias, no bairro Cajueiro.

Manutenção

Com a elevação do nível do rio, o Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) acelerou, nos últimos dias, alguns procedimentos preventivos na Barragem do São Geraldo, como a manutenção das comportas, desobstruindo e limpando-as, para – caso seja necessário – fechá-las. Também houve um grande trabalho preventivo de limpeza nos canais Macarrão e Mulungu, os principais da cidade, afluentes diretos do São Francisco.

A gestora de Obras e Projetos do SAAE, engenheira Luise Chiochetta, diz que todas as medidas preventivas estão sendo tomadas, inclusive planejamento junto às demais secretarias para realização de ações preventivas. “Além das ações preventivas, está sendo realizado o monitoramento dos canais para definir a necessidade ou não do fechamento das mesmas, para evitar retorno da água do Rio São Francisco. No que compete ao SAAE referente ao sistema de água e esgoto, as captações são dotadas de flutuantes que variam os níveis de acordo com o rio, não havendo problemas. Quanto ao esgoto, provavelmente será necessário o desligamento da elevatória do Angari, pois de acordo com dados anteriores, com esse nível ocorre contribuição para dentro do sistema“, disse a engenheira.

Foto: Ascom PMJ/SAAE divulgação

Prefeitura começa a transferir famílias do Angari e reforça manutenção em barragem

  1. Arthur disse:

    Ocupação totalmente irregular, às margens do rio, assim como em diversas chácaras e clubes também. Claro que é uma questão social dessas comunidades antigas também, mas deveriam ser todos retirados e auxiliados para outra localidade – com a devida dignidade, obviamente -, bem como a área da margem limpa e regenarada ambientalmente.

  2. Angariano disse:

    Gabiru, mosquito, cobras, jacarés, gambás, caranguejeiras é o que deve ter próximo a estas casas em troca os moradores devem jogar dejetos humanos, lixo e produtos químicos ou seja é algo em que todos saem perdendo. Há anos a prefeitura de Juazeiro já deveria ter construído um residêncial longe dalí com lavanderia, hortas, espaço para oficinas e galpões para artesanato além de oferecer qualificação profissional aos moradores, mas os deputados de Juazeiro são o que são ai dá no que dá.

  3. Marcos Macedo disse:

    Precariedade da vida humana ainda hoje.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.