Policlínicas de Senhor do Bonfim e Teixeira de Freitas voltam a atender com cuidados especiais contra novo coronavírus

0
Foto: Divulgação

Desde segunda-feira (18), as policlínicas regionais de saúde de Senhor do Bonfim e Teixeira de Freitas, na Bahia, voltaram a receber pacientes e realizar exames de média e alta complexidade em diversas especialidades e exames de imagem como tomografia, ressonância magnética e eletroencefalograma. Os equipamentos de saúde tiveram o atendimento suspenso como forma de conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19) no Estado. 

“As policlínicas são responsáveis por um atendimento essencial para os baianos, pacientes de doenças crônicas que podem ser fatais se não tratadas e que precisam de atendimento especializado. É um momento em que precisamos ser cuidadosos. Os nossos profissionais foram treinados e nossa equipe está preparada para assegurar que não teremos disseminação de Covid-19 nos atendimentos. Dessa forma, asseguramos a segurança de todos, profissionais e pacientes”, afirmou o prefeito de Senhor do Bonfim e presidente do Consórcio de saúde da região, Carlos Brasileiro. 

O Governo da Bahia iniciou o processo de reabertura gradual dos equipamentos em alinhamento com os gestores de cada  município. Como critério estabelecido, apenas as cidades que não tiverem registro de novos casos do novo coronavírus durante 14 dias poderiam retomar as atividades. A unidade de Barreiras retomou as atividades na última segunda-feira (11) e já atendeu mais de 400 pacientes. 

A decisão final sobre o reinício das atividades é uma decisão dos prefeitos, que realizam assembleias dentro dos consórcios regionais para avaliar as taxas de contágio nas regiões. As policlínicas de Valença, Irecê e Guanambi também estavam previstas para abrir ainda no mês de maio, mas, por conta do aumento de casos positivos de Covid-19 nas regiões, as prefeituras optaram por um adiamento. 

As unidades de Jacobina, Juazeiro, Alagoinhas, Itabuna, Jequié, Paulo Afonso e Vitória da Conquista ainda não possuem previsão de reabertura. “Os prefeitos dessas cidades voltarão a realizar assembleias no final de maio para reavaliar a situação e debater a possibilidade de fazer a abertura das unidades em junho”, explica a coordenadora de gestão regionalizada da Secretaria da Saúde (Sesab), Joana Molesini. 

Critérios de segurança

A Sesab também estipulou a testagem das equipes como critério para a reabertura dos serviços e atendimentos das policlínicas. As equipes médicas e de apoio administrativo, incluindo agentes de segurança e motoristas, que atuam nas policlínicas estão sendo submetidos a exames para detecção da Covid-19 e, a cada 15 dias, as testagens serão repetidas. Os funcionários que tiverem o diagnóstico confirmado ficarão em isolamento domiciliar.

Além dessas ações, para diminuir o risco de contaminação, as unidades deverão reduzir o fluxo de pessoas, manter os assentos das recepções organizados de modo que os pacientes se acomodem intercalados, cumprindo o distanciamento mínimo de 1,5 metro e diminuindo a possibilidade de contato entre eles. Também será reduzido o acesso de pessoas nos refeitórios simultaneamente para evitar aglomerações, dispondo as cadeiras para uso intercalado, com manutenção do distanciamento recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Transporte

Os pacientes transportados nos micro-ônibus das policlínicas passarão por uma triagem no seu município de origem antes de entrar no veículo. As pessoas que apresentarem mais de um sintoma compatível com a doença, como temperatura acima de 37,8ºC, não poderão embarcar e serão encaminhadas a uma unidade de referência. A lotação máxima do micro-ônibus será reduzida para 50%. As janelas devem ficar abertas para circulação do ar e o uso do ar-condicionado evitado. Os usuários do veículo devem ficar distantes uns dos outros, de forma que em cada assento duplo permaneça apenas uma pessoa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome