Polícia Civil paralisa atividades por 24h em Pernambuco

por Carlos Britto // 24 de janeiro de 2024 às 10:00

Foto: arquivo

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) aprovou, em votação nesta terça-feira (23), uma paralisação de advertência por 24 horas, de todas as operações policiais no Estado, nesta quarta-feira (24). A categoria pede reajuste da remuneração para corrigir a distorção salarial. A principal demanda é que seja repassado o proporcional a 60% do salário dos delegados para a base.

Em conversa com secretários executivos da Casa Civil, o governo propôs uma abertura de mesa de diálogo para o dia 7 de março, para iniciar a negociação das mesas de cada categoria da Polícia Civil. Áureo Cisneiros, presidente do Sinpol, afirmou que a data ainda está aquém do esperado. “Temos que ter cuidado para não dar um passo em falso“, disse.

A categoria presente na assembleia não aceitou a proposta da data e aprovou, em votação, a paralisação de advertência. “Não se faz nada, não se realiza BO (Boletim de Ocorrência) daqui até Petrolina“, declarou Áureo. Uma nova assembleia foi marcada para hoje, às 7h, em frente ao Instituto Médico Legal (IML), no Recife.

Estiveram presentes na manifestação desta terça-feira representantes de diversas categorias da polícia civil, como peritos criminais, médicos legistas, polícia científica, papiloscopista, escrivães e delegados. “Se não valorizar, a polícia vai parar“, dizia o grito de guerra dos manifestantes.

Segunda passeata

Uma segunda passeata deve acontecer no dia 6 de fevereiro, terça-feira antes do Carnaval, para deliberar sobre uma possível deflagração de greve e instituição de operação padrão no Estado. “A pressão é de todos os lados. Se não tiver negociação, a polícia vai parar“, afirmou um dos representantes do sindicato.

O Sinpol não descarta a possibilidade de greve durante as festividades de Momo em Pernambuco. No Recife, a abertura do Carnaval acontece no dia 8 de fevereiro.

Segundo Áureo Cisneiros, que tomou posse em novembro do ano passado, ainda não foi travado nenhum diálogo com o governo estadual para tratar a questão. “A gente não está de brincadeira, não”, resumiu Cisneiros, que alegou não ter havido melhorias para a categoria em 2023.

A categoria se reuniu em frente ao Sinpol, ao final da tarde de ontem, para de lá iniciar uma passeata até o Palácio do Campo das Princesas, no bairro de Santo Antônio, Centro do Recife. Uma assembleia foi realizada em frente à sede do governo, onde houve a votação que decidiu pela paralisação das atividades da Polícia Civil em todo o Estado. (Fonte: Portal LeiaJá)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Últimos Comentários

  1. A verdade é a seguinte: só vai, só funciona assim. Não adianta conversinha com essas OTORIDADES. Essas OTORIDADES têm compromisso…