Polêmica envolvendo pichação na Ponte Presidente Dutra movimenta redes sociais

27
(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Dois assuntos estão movimentando as redes sociais no Vale do São Francisco, neste final de semana: o São João de Petrolina e uma pichação na Ponte Presidente Dutra, que liga a cidade pernambucana com a vizinha Juazeiro (BA).

A pichação teria sido feita na última sexta-feira (14), durante uma manifestação contra a reforma da previdência e contingenciamento na educação.

Fotos que mostram uma jovem supostamente pichando blocos que dividem o espaço dos carros e o trecho dos pedestres, na ponte, começaram a circular em grupos de WhatsApp e a polêmica se formou. Com tinta vermelha, ela teria escrito frases direcionadas ao Governo Bolsonaro como “Cadê o Queiroz?” e indagou onde estaria o ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Fabrício Queiroz é um um ex-policial militar e ex-assessor parlamentar do gabinete de Flávio Bolsonaro, quando este era deputado estadual no Rio de Janeiro. Queiroz é investigado pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro após um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontar “movimentação atípica” em sua conta de R$ 1,2 milhão.

Já Sergio Moro, ex-juiz da Operação Lava Jato, foi uma das pessoas que teve conversas vazadas em reportagem publicada pelo site “The Intercept Brasil”, no último dia 9 de junho. Nos registros, Moro aparece em trocas de mensagem com outros nomes associados à Lava Jato, como o promotor Deltan Dallagnol, em conversas sobre os rumos de casos então em andamento.

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Crime

No Brasil, a pichação é considerada vandalismo e crime ambiental, nos termos do artigo 65 da Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais), que estipula pena de detenção de 03 meses a 01 ano, e multa, para quem pichar, grafitar ou por qualquer meio conspurcar edificação ou monumento urbano. Este Blog não conseguiu identificar a pessoa que aparece nas fotos, mas deixa o espaço reservado, caso ela queria se pronunciar.

27 COMENTÁRIOS

  1. na Ponte que divide a cidade pernambucana com a vizinha Juazeiro (BA).
    QUE ERRO TERRÍVEL. VEJA A DEFINIÇÃO DE PONTE: obra construída para estabelecer comunicação entre dois pontos separados por um curso de água ou qualquer depressão do terreno.

  2. Salvo engano esse trecho da ponte foi pintado a mando da prefeitura de Petrolina.
    Tem que punir essa senhorita, ou pelo colocar ela pra pintar novamente.
    Isso não é protesto, é vandalismo!

  3. Incrível como as duas manifestações, da “direita e da esquerda”, foram tão distintas. A primeira, sem atrapalhar estudantes e trabalhadores, sem violência ou qualquer tipo de dano ao patrimônio publico, a segunda, fazendo alunos da rede pública de ensino perderem mais um dia de aula (distanciando ainda mais dos alunos de escolas particulares), atrapalhando trabalhadores de chegarem ao trabalho, pichando patrimônios, ateando fogo em pneus, danificando o asfalto etc.

  4. É uma esquerdista assim como todos eles são ” covardes”. Nota se que está indecente provavelmente aluna de universidade federal está de óculos escuros para dificultar a identificação. Mais cedo alguém identifica. Covardes comunistas que só depredam o bem público.

  5. Perdoem-me, mas cabe ou não a pergunta: “cadê o Queiroz?”. Não foi o próprio desMOROnando que disse: que “não interessa como foi a coleta (ilegal) nem se houve a divulgação (ilegal), o que importa é o conteúdo!”. Não?

  6. Corrigindo, né? Daqui a pouco vou estar é assimilando o “CONJE” e o “TESTO” do ministro-juiz. … “cadê o Queiroz?”?. …desMOROnando … : “não interessa como foi a coleta (ilegal) nem se houve a divulgação (ilegal), o que importa é o conteúdo!”?.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome