Polarização Lula/Bolsonaro e críticas a Danilo marcam primeiro debate a governador de PE

por Carlos Britto // 26 de agosto de 2022 às 13:59

Foto: reprodução

Como já era esperado, a disputa presidencial polarizada entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição, marcou boa parte do primeiro debate entre os candidatos a governador de Pernambuco, realizado na manhã de hoje (26) em Caruaru, Agreste do Estado. O evento foi promovido pelas Rádios Liberdade (Caruaru) e Grande Rio FM (Petrolina), e retransmitido pela Folha FM e afiliadas das emissoras.

Participaram do debate os candidatos Anderson Ferreira (PL), Danilo Cabral (PSB), Raquel Lyra (PSDB), João Arnaldo (PSOL), Miguel Coelho (União Brasil) e Pastor Wellington (PTB). Líder das pesquisas de intenção de voto, Marília Arraes (SD) não compareceu. A assessoria da candidata informou na última segunda-feira (22) que ela não iria.

Entre os que confirmaram presença, Anderson Ferreira foi o primeiro a disparar farpas contra a “turma do PSB”, expressão utilizada para se referir ao seu adversário, Danilo Cabral, ao justificar que o povo pernambucano anda com a autoestima baixa devido à má gestão do governo socialista dos últimos oito anos.

Danilo, por sua vez, voltou a citar investimentos de R$ 15 bilhões que pretende implementar no Estado em quatro, caso seja eleito. Mas, primeiro, disse que pretende promover “o reencontro de Pernambuco com o Brasil” – cutucando o adversário, ao afirmar que ele representa o governo que “tanta desgraça trouxe ao país”. Anderson, no entanto, deu o troco no mesmo tom.

O candidato que está aí, há 16 anos, nesse governo incompetente, chega para agredir o presidente Bolsonaro, que investiu mais de R$ 130 bilhões em Pernambuco. Investiu mais do que o presidente (Lula), o qual ele tenta se agarrar. Porque ele tem é que se agarrar no governador dele, mas ele se esconde atrás de Lula e hoje chega aqui (ao debate) para ficar agredindo o presidente Bolsonaro”.

Representante do PTB na disputa majoritária, Wellington Carneiro afirmou que “nem Lula, nem Bolsonaro” vão governar Pernambuco, e pediu aos demais candidatos o foco em propostas para o Estado. Também bolsonarista, ele afirmou que pretende investir em setores essenciais, a exemplo da segurança pública. Já o candidato do PSOL, João Arnaldo, que apoia Lula, afirmou que o desafio, no momento, é “resgatar a civilização e manter o estado democrático direito, e não esse sentimento de ódio, de medo e de fome”.   

Miguel x Raquel

Miguel Coelho e Raquel Lyra mantiveram a distância da polarização, como já vinham destacando em suas declarações anteriores. Isso, porém, não impediu que os dois fossem para o embate.

O ex-prefeito de Petrolina comentou ter atuado fortemente na área de saúde no município sertanejo, citando como exemplo o Centro de Partos. Miguel citou o equipamento como uma maternidade, mas foi contestado por Raquel. “Uma casa de partos com cinco leitos não pode ser considerada uma maternidade”, afirmou a candidata. A entrevista completa pode ser acessada pelo link.

Polarização Lula/Bolsonaro e críticas a Danilo marcam primeiro debate a governador de PE

  1. PENSADOR disse:

    Quem vota em Bolsonaro é bolsonarista. Quem vota em corrupto é corruptível, ladronista, etc.

  2. Mislene Correia disse:

    O terror dos 9 dedos chamou o nosso presidente de ” bobo da corte.”
    O que é melhor: ser chamado bobo da corte ou LADRÃO DA NAÇÃO?

  3. Defensor da liberdade disse:

    Boa Raquel, vamos mostrar para Pernambuco a farsa que foi o governo do Novo Tempo. Onde já se viu uma casa de partos que vive mais vazia que carteira de pobre?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.