Piscicultura artesanal garante renda a famílias do Norte baiano

0

piscicultura-artesanal-norte-da-bahia

Na zona rural do Norte da Bahia, cerca de 600 pessoas adotaram uma atividade que transformou suas vidas: a piscicultura em tanques-rede. O investimento, de cerca de R$ 1,25 milhão, feito pela  6ª Superitendência Regional (SR) da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) na microrregião do lago artificial da Barragem de Sobradinho, promoveu a inclusão produtiva de famílias dos municípios de Sobradinho, Casa Nova, Sento Sé e Curaçá.

Hoje, a região tem 11 associações e 14 produtores familiares individuais exercendo a atividade. Além da instalação dos tanques-rede, a Codevasf fomentou a piscicultura promovendo capacitação dos pescadores artesanais e dos pequenos produtores dentro de padrões ambientalmente sustentáveis, de modo a preservar o ecossistema do Vale do São Francisco.

Além de apoiar a atividade, a 6ª Superintendência Regional da Codevasf, sediada em Juazeiro (BA), também promove parcerias locais para a realização de peixamentos no Lago de Sobradinho, com o objetivo de repovoar e preservar a ictiofauna do Rio São Francisco.

Os alevinos, geralmente com tamanhos que variam entre sete e dez centímetros de comprimento, são oriundos do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Bebedouro, operado pela 3ª SR Codevasf em Petrolina. São colocadas no lago espécies como curimatã, piau, pacamã e, em alguns casos, surubim – esta última uma espécie em risco de extinção que está sendo reproduzida em cativeiro em centros integrados mantidos pela Codevasf nos estados de Alagoas, Minas Gerais, Sergipe, Pernambuco e extremo sul da Bahia. (foto/divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome