PF prende suspeitos em flagrante com R$ 700 em notas falsas na Mata Sul

por Carlos Britto // 26 de novembro de 2021 às 14:45

Foto: PF/divulgação

A Polícia Federal (PF) autuou em flagrante, por volta das 11h de ontem (25), dois homens com notas falsas de Reais. Um deles é natural do Recife, tem 57 anos e atua como vendedor. O outro, de 45 anos, é da cidade de Santa Rita (PB). Ambos moram no Bairro Torrões, no Recife (PE), e foram detidos na cidade de Chã Grande (PE), na Zona da Mata Sul.

De acordo com a PF, o pernambucano não tem antecedentes criminais, mas o paraibano já foi preso em 2004 por tráfico de drogas em São Paulo (SP), onde cumpriu 4 anos e 16 dias. Depois foi detido em 2011, por roubo, também no Estado paulista, cumprindo 4 anos e 8 meses.

As prisões foram feitas por policiais militares do Grupo de Apoio Tático Itinerante lotados na 5ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) de Gravatá (PE), no Agreste. Segundo o boletim, os militares receberam a informação de que dois suspeitos estariam num veículo gol realizando compras no comércio local da cidade, utilizando notas falsas.

De posse dessas informações, os PMs fizeram várias diligências e localizaram o veículo utilizado pela dupla numa oficina mecânica, onde possivelmente eles estavam tentando realizar compras com cédulas falsas. Ao ser feito uma revista pessoal nos suspeitos foram encontradas três cédulas de R$ 200 com o autônomo, e com o vendedor uma de R$ 100, perfazendo um total de R$ 700 em notas falsas. Também foram apreendidos dois aparelhos celulares e a quantia de R$ 335, que segundo os policiais pode já ter sido fruto de troco recebido de compras feitas no comércio local.

Prisão

Terminado os trabalhos ostensivos e tendo sido encontrada as notas falsas, os suspeitos receberam voz de prisão em flagrante e, em seguida, encaminhados à Sede da PF no Recife. Eles responderão por crime contido no artigo 289, parágrafo 1º do Código Penal (introduzir em circulação notas falsas). Caso sejam condenados poderão pegar penas que variam de 3 a 12 anos de reclusão, além de multa. Eles vão passar por audiência de custódia na data de hoje (26). Se for confirmada a prisão preventiva de ambos, eles serão encaminhados para o Cotel (Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna). Caso contrário, responderão em liberdade.

Em Pernambuco, a polícia obteve em 2020 o saldo de seis apreensões significativas, com R$ 16.400,00 retirados de circulação e 8 presos; neste ano foram mais dez apreensões, com o recolhimento de R$ 19.100 e a prisão de 14 pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *