Petrolina tem em média 300 acidentes com motos por mês, revela coordenador da 8ª Ciretran

por Carlos Britto // 19 de janeiro de 2012 às 16:03

No país, a cada dia 600 pessoas dão entrada em um processo para acionar o seguro obrigatório em consequência de invalidez permanente, ocasionada por acidente de trânsito. Desse total, 204 processos são referentes a óbitos. A informação é do coordenador da 8ª Ciretran/Detran-PE, Adalberto Filho (foto) , em entrevista ao programa Comexão Verdade (A Voz do São Francisco/Emissora Rural) desta quinta (19).

Segundo ele, em Petrolina a situação também não deixa de ser preocupante, sobretudo em relação aos acidentes envolvendo motocicletas. A estimativa é de 300 ocorrências dessa natureza por mês.

“São números alarmantes, por isso estamos intensificando cada vez mais as fiscalizações para evitar que imprudências sejam cometidas nas vias, e consequentemente mais vidas sejam poupadas”, declarou.

Petrolina tem em média 300 acidentes com motos por mês, revela coordenador da 8ª Ciretran

  1. Edson Ribeiro disse:

    Sr. Coordenador; E quantos desses acidentes envolveram mototaxistas?

    1. Adalberto Bruno Filho disse:

      70% desses são com motocicletas.

  2. LUIZ GONZAGA NETO disse:

    Será que as autoridades, municipal, estadual e federal não enxergam que a consequencia disso é um sistema hospitalar superlotado, dixando muitas vezes de atender um idoso, uma mulher em trabalho urgente de parto, um infartado ou um outro caso qualquer grave pela falta de uma maior fiscalização e até por maiores cuidados na emissaõ da carteira de habilitação dessas pessoas, o que poderia evitar esses acidentes. Segundo dados estatisticos, ano passado o DPvat pagou um absurdo de R$ em seguro, devido a acidente de moto, isso sem falar nas muitas vidas de muitos adolescentes que foram ceifadas nesses acidentes. Chega de omissão, o poder publico é co-responsavel por isso sim, pois não faz a fiscalização e a prevenção na proporção ao número de motos e principalmente ao número de acidentes que ocorrem. È importante que se diga que as cidades estão ficando intransitaveis pois, com raras exceções, não há respeito a faixa de pedestre, limite de velocidade, faixa amarela, nada, dai o o número absurdo, e de terceiro mundo, de acidentes registrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *