Petrolina soma 93 casos confirmados do novo coronavírus e tem mais dois óbitos

4
Foto: Ascom PMP/SMS divulgação

Petrolina registrou mais 93 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) nesta sexta-feira (5). O número de infectados, agora, chegou a 15.294, enquanto as curas clínicas somam 12.640 – o que representa 82,6% do total desde o começo da pandemia na cidade. Os dados estão no boletim epidemiológico atualizado da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Dos diagnosticados hoje, 80 foram através de 301 testes rápidos realizados pela prefeitura e 13 a partir de exames laboratoriais. São 38 pessoas do sexo masculino, com idades entre quatro meses e 55 anos, e 55 do sexo feminino, entre 13 e 92 anos.

A pasta registrou também dois novos óbitos causados pela doença. Os dois pacientes eram homens e tinham histórico de comorbidades. Um de 39 anos morreu nesta sexta. Ele estava internado em um hospital particular da cidade. O outro um idoso de 80 anos, que estava internado em um hospital público. A morte foi no dia 20 de dezembro de 2020, mas o resultado só foi confirmado hoje. Dessa forma, o município passa a ter 187 mortes causadas pela Covid-19.

As informações referentes à raça/cor/etnia seguem abaixo.

Leitos

A taxa de ocupação geral dos leitos de UTI da rede é de 58,49%. Dos 53 leitos disponíveis, 31 estão ocupados, sendo 16 por pacientes de Petrolina e 15 por aqueles de outras cidades da região. Os dados completos podem ser acessados pelo link. Todas as informações sobre a pandemia na cidade também estão disponíveis no site da prefeitura.

4 COMENTÁRIOS

  1. Na verdade, o homem de 39 anos não apresentava quaisquer histórico de comorbidades. Ele dedicava-se, ao máximo, a cuidar da saúde de forma preventiva; além de proteger a si mesmo, aos familiares e aos amigas da Covid. O que ocorreu, de fato, foi que ele precisou ir ao hospital para realizar um tratamento; e, lá, contraiu a Covid-19, em decorrência de uma séria de atitudes irresponsáveis e desumanas, por parte da instituição. Infelizmente, os familiares e os amigos têm consciência de que o Hospital Unimed, auto-intitulado “o melhor do Vale do São Francisco”, jamais assumirá os erros que cometeu e levaram o paciente a óbito.

  2. Na verdade, o homem de 39 anos não apresentava quaisquer histórico de comorbidades. Ele dedicava-se, ao máximo, a cuidar da saúde de forma preventiva; além de proteger a si mesmo, aos familiares e aos amigos da Covid. O que ocorreu, de fato, foi que ele precisou ir ao hospital para realizar um tratamento; e, lá, contraiu a Covid-19, em decorrência de uma séria de atitudes irresponsáveis e desumanas, por parte da instituição. Infelizmente, os familiares e os amigos têm consciência de que o Hospital Unimed, auto-intitulado “o melhor do Vale do São Francisco”, jamais assumirá os erros que cometeu e levaram o paciente a óbito.

  3. Na verdade, o homem de 39 anos não apresentava quaisquer histórico de comorbidades. Ele dedicava-se, ao máximo, a cuidar da saúde de forma preventiva e holística; além de proteger a si mesmo, aos familiares e aos amigos da Covid. O que ocorreu, de fato, foi que ele precisou ir ao hospital para realizar um tratamento; e, lá, contraiu a Covid-19, em decorrência de uma séria de atitudes irresponsáveis e desumanas, por parte da instituição. Infelizmente, os familiares e os amigos têm consciência de que o Hospital Unimed, auto-intitulado “o melhor do Vale do São Francisco”, jamais assumirá os erros que cometeu e levaram o paciente a óbito.

  4. Reitero as palavras de Alice Sá: o paciente de 39 anos faleceu porque contraiu a Covid no Hospital da Unimed em Petrolina. Ele era muito responsável e cuidadoso com a saúde e não tinha comorbidade alguma. A verdade é que a Unimed jamais vai assumir as irresponsibilidades que fez!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome