Petrolina em sinal de alerta contra Aedes aegypti, aponta levantamento

4
Foto: Ascom PMP/divulgação

A Secretaria de Saúde de Petrolina divulgou nesta terça-feira (16) o resultado do Levantamento Rápido de Índice de Infestação para o Aedes aegypti (LIRAa). A pesquisa foi realizada na primeira semana deste mês de julho pelos Agentes de Combate às Endemias, que fizeram vistorias nos estabelecimentos residenciais e comerciais em diversos bairros da cidade.

De acordo com os dados, o município continua em sinal de alerta: o índice geral permanece em 2,1%. Com esse resultado, Petrolina se mantém em situação de médio risco de infestação para os agravos causados pelo Aedes aegypti. “O LIRAa é realizado a cada dois meses e serve como instrumento para monitorarmos os locais com maiores infestações dos ovos e larvas do mosquito, responsável pela transmissão da dengue, chikungunya e zika, É um trabalho intenso, feito pela nossa equipe”, frisou a secretária executiva de Vigilância em Saúde, Marlene Leandro.

Os bairros mais preocupantes são os que apresentam índice de infestação de 5,7% como o Dom Avelar, São Jorge, São Joaquim e Terras do Sul. Em segundo, com 3,7%, estão São Gonçalo, Jardim Petrópolis, Cohab VI e Vila Chocolate.  De acordo Marlene Leandro, a falta de atenção da população com recipientes que acumulam água, dentro das próprias casas, contribui para que o município permaneça em sinal de alerta.

Quando os agentes fazem as visitas para o levantamento de infestação, percebem que o grande problema são os focos nas casas das pessoas. É importante que a população colabore, faça uma vistoria sempre que possível na sua residência“, explica.

Ações

Diariamente os agentes de combate às endemias realizam visitas nos bairros à procura de focos do Aedes, fazem trabalhos educativos e atendem denúncias. Nas últimas semanas, a Secretaria de Saúde vem intensificando o trabalho, através de uma força- tarefa atendendo, em forma de mutirão, diversas áreas do município. Durante as atividades, que acontecem, principalmente, nos finais de semana, a população recebe orientações e os agentes fazem a eliminação de possíveis criadouros e nas áreas com casos suspeitos notificados realizaram o bloqueio transmissão.

No primeiro semestre deste ano, a secretaria notificou 1.416 casos de dengue. Destes, 62 foram confirmados. Para a Zika, tiveram 99 notificações e duas confirmações. Já a chikungunya foram 151 casos notificados e dois confirmados.

4 COMENTÁRIOS

  1. Interessante o caso do Geilton. O estado sempre será responsável.
    Amigo o estado somos nós, a prefeitura somos nós.
    Nós escolhemos quem nos dirige.
    O esgoto que corre na sua porta, foi resultado do seu uso, com seus vizinhos.
    A presença do esgoto ,não exime. V. Sa. de realizar o controle inerente a sua residência.

  2. Só ir no distrito industrial de petrolina. Lá é a fonte de toda infestação da cidade inteira. Todos os mosquitos são oriundos do Distrito Industrial. Só a prefeitura não enxerga ha ha ha, faz-me rir

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome