Pernambuco autoriza vacinação de crianças de 6 meses a 2 anos

por Carlos Britto // 11 de novembro de 2022 às 06:38

Foto: Miva Filho/SES-PE

Representantes da Secretaria Estadual de Saúde (SES) reuniram-se nesta quinta-feira (10), com gestores municipais, para a pactuação da estratégia para o avanço da campanha de vacinação contra a Covid-19 em Pernambuco. A partir de agora, está autorizada a vacinação de crianças de 6 meses a 2 anos com comorbidades. Ao todo, considerando a faixa etária, cerca de 330 mil crianças estão aptas a receber as doses da vacina no Estado.

A primeira remessa da Pfizer Baby, com 47 mil doses, chegou ao Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes na tarde desta quinta e a SES-PE aguarda o envio da remessa para a sede do Programa Estadual de Imunizações (PEI-PE). A distribuição para os 184 municípios pernambucanos acontecerá já nesta sexta-feira (11). Para este público, a imunização deverá ser administrada em três doses, sendo as duas primeiras com intervalo de 21 dias (três semanas), seguidas por uma terceira dose que deve ser administrada pelo menos dois meses (oito semanas) após a segunda dose.

Entre as comorbidades elencadas pelo órgão federal para a vacinação estão: diabetes, hipertensão arterial e pulmonar, doenças cardiovasculares, doenças neurológicas crônicas, doença renal, imunocomprometidos, obesidade (IMC >40), síndrome de Down, hemoglobinopatias graves e cirrose hepática. Cada gestão municipal deve informar aos munícipes como a comprovação deve ser apresentada, como, por exemplo: cadastro em unidades de Atenção Básica, inserção em programas de acompanhamento, prescrições médicas ou relatórios médicos com o descritivo ou CID da doença.

Doses de reforço

Diante do cenário de aumento da circulação viral em vários Estados do país, inclusive em Pernambuco, a SES-PE já solicitou ao Ministério da Saúde um posicionamento oficial do órgão federal sobre a possibilidade de avanço na faixa etária contemplada com a segunda dose de reforço (quarta dose). Atualmente, no Estado, estão autorizados a receber a segunda dose de reforço pessoas com mais de 40 anos. A SES-PE também requisitou avaliação do cenário para aplicação de uma quinta dose para a população com 80 anos e mais.

A Secretaria aproveita para frisar que não existe, até o momento, indicação para a quinta dose da vacinação contra a Covid-19 em nenhuma população específica no estado de Pernambuco. O único público que recebe uma quinta dose, chamada de dose adicional, são os pacientes

imunossuprimidos graves. Estes realizam um esquema básico de quatro doses do imunizante mais esta dose adicional. Pessoas diagnosticadas com lúpus, convivendo com HIV/Aids, além de pacientes que tomam algum tipo de medicamento imunossupressor, são exemplos de imunossuprimidos graves.

Coronavac para crianças

A Secretaria também reforçou com os gestores que todas as doses de vacina Coronavac destinadas para a faixa etária de 3 e 4 anos de idade, enviadas pelo governo federal, já foram distribuídas. A pasta ainda alertou que os municípios devem ficar atentos para o quantitativo recebido, guardando os insumos para garantir a correta administração das doses, uma vez que o recebimento de imunizantes da Coronavac para este grupo vem sofrendo descontinuidade na entrega de remessas pelo governo federal desde o primeiro semestre deste ano.

Cuidados

Durante a reunião o secretário André Longo alertou que o aumento da positividade da Covid-19 em Pernambuco nas últimas semanas, reforça a importância da manutenção dos cuidados para evitar a transmissão da doença. Ele também destacou a importância da testagem e a vacinação contra a doença.

O Estado tem abastecido os municípios com testes rápidos de antígeno constantemente. Os gestores municipais devem, neste momento, ampliar a capacidade de testagem nos territórios, abrindo ou reativando serviços de testagem. Além disso, frente ao aumento de casos, precisamos fortalecer as estratégias de vacinação nesses territórios diante da fragilidade de cobertura vacinal para segunda dose de reforço nos grupos mais vulneráveis, ocasionando bolsões de pessoas mais suscetíveis ao adoecimento“, finaliza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.