Pernambucana Yane Marques lamenta falhas na esgrima, mas equipe não desanima

0

yane marques

O início da participação de Yane Marques, na Olimpíada do Rio de Janeiro não foi como ela e os torcedores do Brasil esperavam. Nesta quinta-feira (18), na disputa classificatória da esgrima, a sertaneja de Afogados da Ingazeira (PE), no Sertão do Pajeú, não conseguiu um bom desempenho e acabou apenas na 21ª posição. Ela teve um total de 16 vitórias e 19 derrotas, somando 196 pontos. O pentatlo feminino volta a ser disputado nesta sexta-feira (19), desta vez com natação, rodada bônus da esgrima, hipismo e combinado de corrida e tiro.

A posição é decepcionante para Yane Marques, que sempre consegue bons resultados nos jogos de esgrima. Em Londres-2012, por exemplo, quando conquistou a medalha de bronze, ela acabou a etapa da esgrima na sexta colocação. Depois da prova, Yane evitou conversar com os jornalistas, mas num contato rápido lamentou a atuação que teve na manhã desta quinta-feira. “Hoje não encaixou. Não entrou nada”, disse, rapidamente.

A pontuação desta quinta-feira será somada com a conquistada na rodada bônus da esgrima na sexta-feira, quando cada jogo vale um ponto e as disputas começam com a última colocada enfrentando a penúltima e assim sucessivamente. Nesta sexta-feira, a disputa do pentatlo moderno feminino começa com a natação e é seguida pela rodada bônus da esgrima, pela prova de hipismo com saltos e, por último, o evento combinado de corrida e tiro.

A grande vencedora da primeira etapa do pentatlo moderno na Olimpíada do Rio de Janeiro foi a polonesa Oktawia Nowacka, que somou 262 pontos. A alemã Lena Schoneborn, atual número um do mundo, ficou na segunda colocação, com 244 pontos.

Técnico mantém confiança

Apesar do resultado ruim na primeira prova, um dos técnicos de Yane, Thales Rabelo, se mostrou confiante de que a situação pode ser modificada nesta sexta-feira. “Ela vai ter que correr atrás, mas todas vão. Ninguém está garantido enquanto não cruzar a linha. A polonesa não garantiu nada. Ela pode ser campeã olímpica, mas pode também terminar em 20º e não vai surpreender. Se ela ganhar, não é porque ganhou a esgrima e sim porque vai fazer as cinco provas regulares. Seguimos bem confiantes. As reviravoltas são constantes no nosso esporte“, disse.

De acordo com o treinador, a imprevisibilidade do pentatlo moderno pode entrar em cena nesta sexta-feira. E um dos fatos importantes para isso é que no hipismo, os cavalos só são conhecidos pelos competidores 20 minutos antes da disputa. “É possível de alcançar. Existem as provas técnicas no pentatlo, mas o hipismo e o tiro podem trazer muita diferença. Tanto positivo, quanto negativo. A polonesa foi muito bem na esgrima, mas pode ir muito mal no hipismo. É difícil afirmar que a pessoa vai gabaritar o hipismo. O cavalo é um animal e não é nosso“, ponderou. (fonte: Globoesporte.com/ foto: Danilo Verpa/Folha de S.Paulo/NOPP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome