Patrulha da Mulher da GCM de Petrolina apresenta balanço de ações no combate à violência de gênero

2
Foto: Ascom PMP/GCM divulgação

A Patrulha da Mulher da Guarda Civil Municipal (GCM) de Petrolina divulgou dados estatísticos do atendimento realizado na fiscalização de medidas protetivas e o acompanhamento às vítimas de violência doméstica e familiar no município. A ação busca o cumprimento de medidas protetivas relacionadas às diretrizes da Lei Maria da Penha. Em 2020, foram detidos e conduzidos 68 indivíduos para a Delegacia de Polícia por cometerem algum tipo de ato de violência contra a mulher. Além disso, durante o ano passado, foi feito o acompanhamento de 235 mulheres no cumprimento de medidas preventivas.

Também foram realizadas 2.193 visitas para fiscalizar as medidas protetivas, além de 13 retiradas de pertences de vítima do local da ocorrência, em apoio a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM); mais 24 acompanhamentos de vítimas à DEAM para registro de Boletim de Ocorrência (BO); 35 notificações ao descumprimento de medidas protetivas; dois encaminhamentos de vítimas a abrigo provisório; e vários encaminhamentos/conduções de vítimas ao CEAM para atendimento psicológico jurídico e social.

Quanto ao atendimento a chamadas de emergência geradas através do número 153, foram realizados 106 atendimentos a ocorrências diversas – tais como agressão física e psicológica, ameaça, violência patrimonial, invasão domiciliar, tentativa de homicídio, perturbação da paz, cárcere privado e violência sexual/atentado violento ao pudor e injúria.

A fiscalização é feita a partir da demanda da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, que encaminha as medidas protetivas e também pelas ocorrências espontâneas. “Ações como estas fortalecem a proteção às mulheres vítimas de violência, bem como mostram que a Patrulha da Mulher da Guarda Civil Municipal de Petrolina vem buscando cumprir o seu papel no fortalecimento da segurança pública municipal e na efetivação da Lei Maria da Penha“, avaliou o coordenador da Patrulha da Mulher, Inspetor Jenivaldo dos Santos (carinhosamente conhecido por Jota Santos).

2 COMENTÁRIOS

  1. Enquanto a violência cresce em Petrolina de forma absurda, o prefeito deixa viaturas enferrujando no pátio e muitos guardas civis formados sem nomeação. Pense num gestor preocupado com segurança pública.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome