Para presidente do Cremepe, falta de recursos humanos ainda é o principal problema do HU

0

silvio rodrigues - foto marco aurélio

O presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Silvio Rodrigues, concedeu entrevista coletiva hoje (16) para falar sobre a atual situação do Hospital Universitário (HU) de Petrolina, que vem sendo novamente alvo de denúncias. Segundo ele, o Cremepe realiza constantemente fiscalizações no HU. Ele afirmou que já foram encontradas várias irregularidades na unidade, mas o que persiste é a falta de recursos humanos.

A gente tem vindo constantemente aqui em Petrolina, principalmente no HU, que o único hospital de referência de traumas que atende 53 municípios com um total de 2 milhões de pessoas. A gente sabe que o hospital tem a quantidade de leitos inferior ao necessário para a região. Já encontramos de tudo aqui, desde falta de insumo, de anestesistas de material cirúrgico. Mas o grande problema, hoje, é a falta de recursos humanos, principalmente quando se fala dos anestesistas”, explicou Silvio.

Para o presidente do Creme, o problema da falta de anestesistas é maior nos finais de semana, quando a unidade recebe um número maior de pacientes.Tanto na sexta e sábado no plantão noturno, como domingo e segunda no plantão diurno que funciona sem nenhum anestesista de plantão. Na nossa avaliação, no mínimo, é necessário ter dois anestesistas por plantão. As outras especialidades estão mais ou menos cobertas, apesar do Conselho achar que o número de clínicos no plantão ainda é inferior às necessidades. São dois clínicos por plantão, mas na nossa avaliação deveria ter até quatro clínicos no plantão”, afirmou.

Ortopedia

Sobre a fila de espera na ortopedia, Silvio Rodrigues admitiu que, devido ao grande número de acidentes que ocorrem na região – principalmente de moto, o problema ainda persiste.A fila de espera ainda continua. 95% dos pacientes internados na unidade são pacientes esperando atendimento na ortopedia. A gente constatou, também, que existe o convênio firmado com as prefeituras de Petrolina e Juazeiro (BA), para a contratação de anestesistas e ortopedistas, mas o número de vinda desses especialistas, para dar suporte conjuntamente com o hospital, ainda é pequeno”, disse, cobrando suporte dos municípios da região.Ainda precisamos do suporte de todos os municípios da região, não somente de Juazeiro e Petrolina.(foto/Marco Aurélio)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dezoito − 5 =