Pacto Federativo, água e educação na mira do pré-candidato a senador FBC

2

Fernando BezerraO Pacto Federativo, a água e as questões ligadas à educação são temas “caros” para Fernando Bezerra Coelho (PSB), pré-candidato pela Frente Popular de Pernambuco ao Senado. As três temáticas prometem nortear sua campanha e seu possível mandato como senador. FBC admite que são “caros” por se tratarem de assuntos delicados, que demandam atenção e investimentos, mas que são de fundamental importância para o país.

Em entrevista ao Blog no último fim de semana, o ex-ministro da Integração Nacional destacou a necessidade de se discutir um novo Pacto Federativo, com a descentralização das receitas de modo que beneficie também os estados e municípios. Para ele, a redução da carga tributária irá provocar um cenário mais competitivo dentro e fora do país para os empresários e empreendedores brasileiros.

“No período em que fui constituinte, em 1988, meu trabalho promoveu a maior descentralização de recursos da história brasileira. Então, quero voltar ao Congresso Nacional para poder de novo trabalhar em cima de uma reforma tributária que possa ensejar maior autonomia para os estados e municípios, além de reduzir a carga de impostos para que a gente tenha um país com a carga fiscal mais aliviada, fazendo com que nossos empreendedores e empresários possam ser mais competitivos”, explicou.

Outro desejo de FBC é levar ao Senado o debate sobre a infraestrutura hídrica. Segundo o pré-candidato, a água deve ser tratada não apenas em questões relativas ao abastecimento, mas também como fonte de produção para aqueles que vivem no campo. O saneamento e a drenagem das cidades é outra preocupação do socialista.

“A água deve ser vista como elemento para o abastecimento das cidades, o abastecimento das populações que vivem na zona rural, mas também como fonte de produção para a agricultura irrigada, para a pecuária e caprinovinocultura. Quero discutir também o saneamento e a questão da água do ponto de vista da drenagem urbana das cidades. Quando vêm as chuvas, alguns municípios se desorganizam, então os investimentos precisam ser feitos para que as chuvas não signifiquem tragédias, nem da perda de vidas humanas, nem de fortes prejuízos materiais. Ainda quero discutir a questão da água do ponto de vista da sustentabilidade, da proteção das matas ciliares, da preservação dos nossos rios”, comentou.

Valorização dos professores

Na perspectiva da educação, Fernando ressalta que é preciso valorizar os professores e incentivar os jovens à prática da docência. De acordo com ele, mesmo com os avanços na área nos últimos anos em Pernambuco, é fundamental reconhecer a carreira daqueles que trabalham nas salas de aula. A melhoria dos salários começaria por um fundo exclusivo do Governo Federal.

“É possível construir melhores escolas, transformar as escolas em unidades integrais, mas não vamos avançar verdadeiramente se o professor não for valorizado e reconhecido. Eu quero levar para a discussão a possibilidade de criar a carreira federal para professor do Ensino Fundamental e do Ensino Técnico. Hoje, os nossos jovens não querem mais fazer os cursos de licenciatura. Os professores recebem mal no Brasil e nós não podemos transferir isso para os municípios e estados porque o orçamento deles não comporta o pagamento de melhores salários. É preciso, portanto, debater essa questão e quem sabe criar um fundo exclusivo do Governo Federal que possa bancar melhores salários para os professores e com isso a gente despertar nos jovens o interesse de ir às universidades fazer cursos de licenciatura”, disse.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome