Órgãos de segurança e representantes da Prefeitura de Juazeiro se reúnem para debater sobre o Carnaval 2019 e se antecipar a eventuais problemas

0
(Foto: Ascom PMJ/Divulgação)

A convite da Polícia Militar (PM), a Prefeitura de Juazeiro – representada pelo coordenador do Carnaval, Samuel Morais; secretária de Saúde, Fabíola Ribeiro; Guarda Municipal; CSTT e Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano – participou na quarta-feira (23), no auditório do 3º Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação (BEIC), de mais uma reunião para planejamento de segurança durante o Carnaval 2019. Também estiveram presentes representantes da Coelba, companhias telefônicas, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil (PC), Bombeiros, Departamento de Polícia Técnica e Cipe-Caatinga.

De acordo com o comandante do Policiamento Regional Norte, Coronel Anselmo Bispo, a ideia de realizar esse encontro é organizar melhor o planejamento para se antecipar aos problemas. “Dessa vez nos reunimos com mais órgãos para minimizar a possibilidade de falha em nosso planejamento. O planejamento é feito em rede. Se um elo desse se partir, toda a corrente se parte também. Analisamos o trabalho do ano passado, revisamos possíveis falhas, para que sejam corrigidas este ano e vamos acrescentar ações inovadoras, que possam melhorar ainda mais a prestação de serviço de cada órgão de forma integrada”, explica o Coronel.

De acordo com o engenheiro da Coelba, Cleber Pablo, a empresa tem se preparado para atender a comunidade durante o Carnajuá 2019, e já está com informações prévias repassadas pela coordenação para facilitar a fiscalização.

Vamos identificar possíveis desvios na rede, proximidades da rede elétrica e de áreas vivas com transeuntes, verificar altura dos trios, para possibilitar as passagens e também fiscalizar as barracas que estão credenciadas, para fazer as ligações de forma correta, orientando sempre a usar aterramento e disjuntor para protegê-los”, pontuou acrescentando: “quem tiver alguma dúvida, deve procurar a Coelba nos canais de comunicação, nas lojas de atendimento e também pelo número 116. Estamos prontos para atuar de forma ativa na resolução de qualquer problema”.

Drones

O subtenente da Cipe-Caatinga, João Bosco Sousa, chamou a atenção para as pessoas que irão trabalhar no carnaval utilizando drones. “Iremos fiscalizar a utilização dessas pequenas aeronaves e alertamos para a documentação necessária. Para adiantar, faremos o 1º Encontro de Operadores de Drone da Região Norte, justamente para dirimir dúvidas sobre sua utilização, porque as pessoas usam aleatoriamente, sem a regulamentação necessária e sem perícia adequada. Quem vai trabalhar com drones no carnaval pode procurar a Cipe-Caatinga, para fazer a regulamentação junto à Anatel e à Agência Nacional de Aviação Civil”, disse.

A secretária da Saúde Fabíola Ribeiro explicou que a Sesau fará a segurança alimentícia, com inspeção de todos os pontos de alimentação do carnaval, assim como o preventivo, com distribuição de preservativos nos pólos da folia. “Ainda teremos pontos de saúde com ambulâncias, motolâncias e profissionais para atendimento de qualquer eventualidade. É um evento de magnitude ampla e estamos nos planejando para que ocorra da melhor maneira possível e o folião tenha os três dias de festa seguros em todos os quesitos”, ressalta.

Para o coordenador da festa, Samuel Morais, participar de encontros como esse é continuar apostando em um planejamento que levará ao sucesso do evento. “Queremos um carnaval de paz, de alegria e nosso planejamento é feito pensando na vida das pessoas, de forma que elas brinquem com segurança e bem-estar. Apresentamos aos presentes toda programação da festa com atrações, dias e horários, anotamos as sugestões e solicitações. Acreditamos que tudo de positivo planejado nesse encontro irá acontecer já sabendo do êxito que o carnaval terá”, afirma Samuel.

Trabalho da PM

Finalizando a reunião, o Coronel Anselmo Bispo disse ainda que a PM quer um carnaval onde ninguém precise ser convidado a sair da festa. “A polícia estará lá exatamente para regular comportamentos. Entendemos alguns comportamentos e o policial militar está sendo orientado a ter paciência com o folião mais alegre, que usou uma dose de bebida alcoólica maior. Mas não vai ter paciência com o crime, nem com agressão”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome