Operação contra pirataria apreende 5 mil mídias piratas em Petrolina

por Carlos Britto // 30 de janeiro de 2009 às 11:10

Uma operação de repressão à pirataria, deflagrada na tarde desta quinta-feira (29), em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, resultou na apreensão de cerca de 5 mil CDs e DVDs piratas. A operação foi resultado de uma ação conjunta entre as Polícias Civil e Militar. Os agentes chegaram ao centro da cidade por volta das 15h. De acordo com a polícia, ao avistar a chegada dos agentes muitos comerciantes fugiram abandonando mercadorias e pertences pessoais como carteira e celular. Durante a operação 18 pessoas foram detidas, sendo dois menores de idade e uma mulher. Como a ação foi apenas de advertência, ninguém teve a prisão formalizada. Mesmo assim, o grupo irá responder processo em liberdade por crime contra a propriedade imaterial. Se forem punidos eles podem pegar quatro anos de detenção. Caso haja reincidência, os detidos serão autuados em flagrante.

Fonte: pe360graus.com

Operação contra pirataria apreende 5 mil mídias piratas em Petrolina

  1. paulo roberio disse:

    Sei que a pirataria é prejudicial ao autor de uma determinada obra, mas adquirir um Cd ou DVD original, pelo preço praticado no mercado fonográfico, não condiz com a realidade de muitos brasileiros, principalmente neste momento de crise aguda na nossa região. Centenas de pais de família estão desempregados e não se está fazendo nada por esse pessoal, ninguém vai ver os filhos com fome, sem perspectiva nenhuma, que não procure um meio menos prejudicial a sociedade para sobreviver. Pior seria ir praticar “crimes” maiores no centro e periferia da cidade, ou apelar para a mendicância, para morrer de fome e escutar piadas do tipo “vá procurar trabalho”.

    Porque não se faz operações desse tipo que está sendo feito com os vendedores de CDs e DVDs nas Universidades e Faculdades? É praxe corriqueira a solicitação de cópias xerográficas de diversas obras (completa ou em partes) nesses estabelecimentos de ensino, e pelo que me consta nunca houve uma fiscalização. Também concordo que os alunos não podem adquirir livros pelos preços estabelecidos peas editoras, aí surge esta forma de aquisição do conhecimento.

    Pior que a pirataria (seja de livros, CDs, DVDs) são os roubos, assaltos, acidentes automobilísticos e os homicídios que acontecem regularmente na nossa região, muitos deles sem investigação e punição dos culpados.

  2. Opara disse:

    As indústrias da interatividade recebem vários incentivos dos governos federal, estaduais e municipal. Filmes, apresentação teatral, lançamento de dvds etc… mesmo assim cobram um absurdo. O povo gosta de cultura, por isso que, apesar de não ter dinheiro, compra pirata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.