Odacy Amorim garante que, se for eleito, fará gestão em Petrolina “da zona rural para a orla”

6
Foto: Blog do Carlos Britto

Odacy Amorim (PT) tentará nas eleições deste ano viabilizar o projeto político de administrar novamente o destino da principal cidade do Sertão pernambucano. Quando foi prefeito de Petrolina pela primeira vez (em 2008/09), ele era o vice do então aliado Fernando Bezerra Coelho (MDB), o qual aceitou o convite de ser o secretário de Desenvolvimento Econômico de Eduardo Campos, que havia sido eleito governador do Estado em 2006. Na época filiado ao PSB, Odacy pretendia naturalmente concorrer à reeleição, mas graças a um ‘racha’ no diretório socialista municipal, foi rifado da disputa. De 2008 para cá muita coisa mudou, menos a vontade do petista de ser prefeito mais uma vez.

Ele já havia admitido, em ocasiões anteriores, seu sentimento de frustração por ter sido impedido de tentar renovar o mandato naquela época. No entanto, deixa claro que sua disposição em tentar chegar à prefeitura não se trata de um projeto pessoal, mas coletivo. “A gente vê na política, e Deus tem me permitido nessa caminhada, uma oportunidade de melhorar as condições de vida das pessoas”, pondera.

Dentro desse contexto, Odacy afirma que trabalhará – caso seja eleito – priorizando o campo até chegar à área urbana. Nesse sentido prometeu trabalhar com três eixos básicos: desenvolvimento econômico, turismo e sustentabilidade. “Nosso governo virá do interior em direção à orla”, ressalta. Entre as principais propostas do candidato estão a implantação de um plano de negócios da propriedade rural como forma de nortear o desenvolvimento das famílias do campo, e de um plano diretor para as agrovilas da área irrigada.

Já quanto à zona urbana, Odacy citou o projeto da pavimentação de mil ruas e da construção de shopping a céu aberto em bairros mais afastados do Centro da cidade. Também destacou a implantação de um hospital destinado a cirurgias eletivas. Sobre a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o candidato destacou várias ações que implementará no intuito de dar continuidade às medidas preventivas preconizadas pelas autoridades sanitárias.

Críticas

Odacy não perdeu a oportunidade de criticar a atual gestão em vários pontos. Um deles diz respeito à manutenção de estradas vicinais. “Você anda em Afrânio, Dormentes, Lagoa Grande, em outras cidades, e vê as estradas bem cuidadas. Em Petrolina foram quatro anos de abandono, com algumas pinceladas em épocas de eleição”, alfinetou.

A saúde pública foi outro item questionado pelo petista. Lembrando que nos dois anos de sua gestão Petrolina teve conquistas como o antigo Hospital de Traumas, a transformação do Hospital Dom Malan (HDM) em unidade materno-infantil e um pronto-atendimento no Bairro José e Maria, o que permitiu que investisse na atenção básica, Odacy lamentou que a realidade atual seja bem diferente.

Quando fui prefeito, Petrolina tinha três hospitais. Hoje não tem nenhum(…)no momento em que o município se livrou dos três hospitais que tinha, era para a rede básica estar brilhando, mas o que se vê é abandono, gente dormindo nas filas”, afirmou. O candidato assegurou, nesse sentido, que irá valorizar os postos de saúde, bem como construir um hospital municipal num eventual governo.

“Mudança”

Odacy lembrou que em apenas dois anos de sua gestão pavimentou 120 ruas de Petrolina “sem tomar um Real emprestado”. A afirmação, porém, vai de encontro ao que disse seu adversário, o atual prefeito Miguel Coelho (MDB), o qual declarou que todos os gestores de Petrolina pegaram empréstimos para poder viabilizar as obras. Sobre educação, o candidato prometeu ampliar escolas em tempo integral na cidade e retomar um projeto para crianças e jovens que implantou na sua primeira gestão, o ‘Musicando’ – entre outras ações.

“Se for da vontade de Deus e do povo de Petrolina, e eu chegar novamente à prefeitura, vocês vão ver uma mudança muito profunda na forma de administrar Petrolina, porque o dinheiro da prefeitura vai chegar com mais intensidade. Nós vamos abrir as contas e discutir com a sociedade, dentro de uma visão participativa”, concluiu.

6 COMENTÁRIOS

  1. Em vez de cometer uma injúria gratuita (que, por sinal, é crime conforme o Código Penal), experimente fazer uma crítica com argumentos. Repetir ofensas sem pensar não combina com seres humanos. É um comportamento inerente aos papagaios.

  2. Da Zona Rural para a Orla significa que ele deseja fazer uma gestão que dará mais atenção às demandas das localidades mais afastadas do Centro de Petrolina. O atual prefeito usa até material diferente para fazer o calçamento dos bairros da cidade. Enquanto no Centro e na Orla está tudo “um brinco”, na periferia, a maior parte das obras foi feita nos meses próximos às eleições; e tem até ponto de ônibus da época de Lóssio que foi reaproveitado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome