Novos viadutos da Avenida Sete de Setembro começam a ser entregues em fevereiro

4
Foto: Jonas Santos

O prefeito de Petrolina Miguel Coelho vistoriou, nesta terça-feira (22), a construção dos dois viadutos da Avenida Sete de Setembro. O gestor foi informado, após conversa com a equipe de engenharia da obra, que um dos equipamentos será entregue até fevereiro e o outro em abril de 2021.

Os viadutos são o ponto máximo de uma complexa reestruturação viária da Sete de Setembro. Ambas as estruturas possuem 600 metros de extensão por 7,5 metros de altura. Um deles liga o bairro Areia Branca ao José e Maria e deve ser inaugurado no início de fevereiro. O outro, que conecta o Antônio Cassimiro ao bairro KM-2, ficará pronto em abril.

O projeto de reestruturação da avenida já havia duplicado as pistas centrais e recapeado as marginais. Ainda há previsão de implantação de uma ciclovia no corredor. “Essa é uma obra histórica que beneficia o trânsito no presente e prepara a cidade para o futuro. Junto a diversas outras duplicações e projetos de mobilidade, estamos deixando Petrolina planejada para os próximos 20 ou 30 anos”, explica o prefeito. 

A obra da Sete de Setembro é realizada pelo Governo Federal, através do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT). Foram mais de R$ 18 milhões investidos com recursos federais, emendas do senador Fernando Bezerra Coelho, do deputado federal Fernando Filho, além de contrapartida da Prefeitura de Petrolina.

4 COMENTÁRIOS

  1. Tem alguma verba sobrando para o recapeamento da ciclovia da av. da Integração para fechar com chave de ouro a revitalização da via? Recapearam a via principal mas esqueceram da ciclovia, que está em péssima condições de uso em boa parte a sua extensão. Devido ao péssimo estado alguns ciclistas estão se aventurando a andar entre os carros, o que aumenta o risco de acidentes.

  2. Perfeito Daniel, eu pedalo todos os dias na ciclovia da integração e, vejo as péssimas condições em que se encontra. Espero que o Prefeito providencie essa restauração.

  3. Essa obra deveria ser considerada crime contra o erário e contra a autoestima da população, seus “planejadores” deveriam pegar 10 anos de cadeia, pois gastaram milhões na duplicação, para em menos de 1 ano quebrar e fazer o tal viaduto, além de deixar bairros populosos da cidade com acessos dificultados. Isso mostra a completa falta de planejamento da obra, que além de gastar milhões que foram para o ralo, ainda causou inúmeros acidentes pela falta de passagens de pedestres adequadas.

    Tá aí uma lei inteligente e completamente racional que deveria existir no código penal deste buraco que chamam de país: Dano ao patrimônio público por obra mal planejada, mal executada, ou que não gere benefícios à população ao longo do tempo. Os responsáveis devem cumprir pena de reclusão de 10 anos com multa.

    Quero ver essas patifarias acontecerem de novo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dois × dois =