Novo presidente do PSL em Petrolina, Coronel Leite não acredita em vinda de Miguel Coelho e deixa portas abertas para Gabriel Menezes e Domingos de Cristália

2
Foto: Blog do Carlos Britto

Após integrar as equipes do ex-prefeito Julio Lossio (PSD) e do atual Miguel Coelho (sem partido), além de ter concorrido a uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) nas eleições 2018, Coronel Heitor Leite tem um novo desafio. Será dele a missão de comandar a comissão provisória do PSL de Petrolina.

Em entrevista ao Programa Carlos Britto, da Rural FM, nesta quinta-feira (8), ele afirmou que uma de suas principais tarefas é a de fortalecer a legenda no município. “Essa foi a conversa que o presidente (do PSL nacional) Luciano Bivar teve comigo, quando estivemos reunidos em Brasília com outros parlamentares”, destacou.

Coronel Leite ressaltou que, dentro desse contexto, a ideia é arregimentar novos filiados e manter os que já estão na legenda, a exemplo dos vereadores Gabriel Menezes e Domingos de Cristália.

Já sobre a possibilidade do prefeito Miguel Coelho ingressar no PSL, o presidente da comissão provisória não demonstrou muito entusiasmo. Leite acredita que, pelo perfil de jovem político e de ter deixado recentemente o PSB, que tem uma linha “mais de esquerda”, é pouco provável que o prefeito filie-se ao PSL, um partido conservador de direita. O detalhe é que a legenda do presidente Jair Bolsonaro detém hoje um tempo considerável de rádio e TV, o que interessaria Miguel para seu projeto de reeleição em 2020.

Tudo é fruto de conversação. Como ele viria, em que condições. Ele coloca as condições dele e eu, como presidente da comissão provisória, coloco as minhas. Havendo acordo, é realizado. Não havendo acordo, fica quem se sentir confortável”, declarou. O coronel deixou claro também que não ficará decepcionado se houver determinações de cima para baixo, sobretudo porque Bolsonaro rasga elogios a Miguel e o pai do prefeito, Fernando Bezerra Coelho (MDB), é o líder do seu governo no Senado. “Enquanto não houver uma mudança e os partidos não forem fortalecidos, estamos sujeito a isso”, ponderou.

Avaliação

Nesse primeiro mandato de Miguel, Leite ocupou por um ano a extinta pasta de Infraestrutura e Habitação. Embora veja realizações importantes, ele diz que, nesse momento, não aprovaria a administração do prefeito por considerar que “pode avançar mais”. O presidente do PSL de Petrolina também vê muitas ressalvas no Governo Paulo Câmara.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome