Novo coronavírus: Prefeitura de Afogados monta barreiras na entrada da cidade para identificar e orientar motoristas de fora

por Carlos Britto // 25 de março de 2020 às 10:35

O cenário alarmante de pandemia do novo coronavírus (Covid-19) levou a Prefeitura de Afogados da Ingazeira (PE), no Sertão do Pajeú, a montar barreiras nas entradas da cidade para identificar e orientar motoristas que vêm outras localidades. Além de orientar a respeito de aspectos relacionados à prevenção da doença, motoristas e passageiros foram instados a informar o objetivo da vinda ao município.

Quem apenas estava de passagem, recebeu panfletos de orientação e seguiu viagem. Os que tinham Afogados como destino, foram cadastrados para acompanhamento, após relatarem se tiveram histórico de contatos com casos de Covid-19, ou se eram oriundos de Estados como Rio e São Paulo, que possuem grande quantidade de casos. Foram parados carros de passeio, ônibus e caminhões.

Outra ação importante foi a demarcação de espaços, com pintura de faixas amarelas, nos bancos e lotéricas, para garantir o espaço mínimo de dois metros entre as pessoas que estejam nas filas. O coordenador da Defesa Civil, Carlos Neves, participou de uma live no perfil da Prefeitura no Instagram (@afdaingazeira), em parceria com o @corujaodopepeu , detalhando as ações do órgão e o monitoramento da Barragem de Brotas.

Novo coronavírus: Prefeitura de Afogados monta barreiras na entrada da cidade para identificar e orientar motoristas de fora

  1. LAGOÃO disse:

    São medidas extremas e sem objetividade. O que separa um Município e um Estado de outro, é uma linha divisória invisível, não quer dizer que o Prefeito ou o Governador possa tomar essa medida de impedir que qualquer pessoa adentre o seu Município e ou Estado. Imaginemos afogados da Ingazeira que não produz Petróleo e os caminhões tanques não puderem adentrar o Município, não produz trigo, não produz tantos outros alimentos, vão comer só macaxeira? e os recursos dos Governos Federal e Estadual o Município terá jus a eles? então isso é uma decisão para o Governo Federal, os Município e Estados devem sim implementar as políticas do Ministério da Saúde em casos análogos e correlatos e alongá-las, amplia-las ou coisa que o valha e não inventar. Esse é um problema global, não é de bom alvitre que se politique o problema, tirar vantagens do problema. Políticos e Imprensa que se preocupam em criticarem o Governo Federal, nós sabemos muito bem o motivo, não tem mais Mensalinho nem Mensalão, não tem mais derramamento de dinheiro em propagandas desnecessária e inúteis, a Lei de incentivo a cultura de artistas em início de carreira está sendo levada a sério, os recursos não são mais direcionados a apenas alguns que hoje são milionários e que sempre alienaram a juventude. A Gripe existe assim como a N1h1, Dengue, Chicungunha, Zica e outras, e todas matam, em particular crianças e idosos que normalmente tem baixa imunidade. Não é preciso exagero, infelizmente ainda não existe a vacina, mas logo logo surgirá, existem cientistas sérios trabalhando o problema. Não tem nenhum cientista do aquecimento global trabalhando nisso, são cientistas incansáveis que trabalham dia e noite e com poucos recursos que trabalham o problema, inclusive estão procurando uma vacina universal para a gripe, pois já existem várias outras gripes, mas tem dia nem hora para aparecer uma outra, por isso esses cientistas trabalham em encontrar uma vacina universal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *