Novo Coronavírus: Paulo Câmara se reúne com entidades empresariais para analisar impacto na economia

9
Foto: Heudes Regis/SEI

Com o intuito de encontrar alternativas para diminuir o impacto na economia causado pelas medidas de combate à pandemia do novo coronavírus, o governador Paulo Câmara realizou uma reunião, no domingo (29), por teleconferência com nove representantes da iniciativa privada – setores do comércio, indústria, agricultura, hotelaria e bares e restaurantes.

O secretário de Planejamento, Alexandre Rebêlo, apresentou aos empresários um resumo da situação da pandemia e as medidas tomadas pelo governo para o enfrentamento do novo cororavírus no Estado. Dentre os pleitos apresentados pelo empresariado ao chefe do Executivo, o principal é relativo às questões de isenção ou redução tributária. O governador informou aos participantes que o assunto será discutido no âmbito nacional, nesta sexta-feira (3/04), também por teleconferência, durante a reunião do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Fazenda (Consefaz).

“Estamos concentrados no que é mais emergencial. Nosso compromisso número um é salvar vidas. Mas assim como todo o setor produtivo estamos preocupados com os impactos dessa crise na economia. O que o governo federal apresentou até agora foi tímido e insuficiente. Precisamos focar na preservação dos empregos”, afirmou o governador Paulo Câmara. Os secretários Bruno Schwambach (Desenvolvimento Econômico), André Longo (Saúde), Alberes Lopes (Trabalho, Emprego e Qualificação), Antonio de Pádua (Defesa Social), Rodrigo Novaes (Turismo) e Décio Padilha (Fazenda) participaram da reunião.

O encontro aconteceu dois dias depois de um primeiro contato, na sexta-feira, realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC) com representantes das principais entidades da indústria e do comércio em Pernambuco. A SDEC encabeça o Comitê de Articulação Estratégica formado para articular ações conjuntas de enfrentamento aos efeitos da Covid-19 na economia.

Por parte da iniciativa privada, participaram do encontro representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio/PE), Associação de Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi), Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon), Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Porto de Galinhas e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). (Fonte: Diário de Pernambuco)

9 COMENTÁRIOS

    • Quanta injustiça!
      Ele, como todos os governadores e prefeitos estão trabalhando muito bem. As medidas tomadas foram todas bem tomadas.
      Agora, porque você, sr. ary, não apresenta alternativas para voltar tudo a funcionar sem o risco de contaminação para ninguém. Vamos, apresente!
      Imagine agora, se essas medidas não tivessem sido tomadas, como estaríamos agora? Aí você estaria criticando o Governador por não ter feito nada.
      Eita humanidade insana!

      • Esse Paulo Camara só falta dizer agora que foi Bolsonaro que infctou a todos… Vergonha esse Paulo Camara.
        A revolta maior desse Governador foi porque Bolsonaro não peemitiu ele colocar a mão no Dinheiro da União destinado ao povo Pernambucano, esse dinheiro na mão dos Governadores eles iriam fazer politica… O povo teria que se humilhar pra ter os R$600,00
        Bolsonaro fez diferente colocou o dinheiro pra ser sacado pelos autônomos pela Caixa econômica Federal.

        O Nosso Presidente Bolsonaro agiu com inteligência… Parabéns Bolsonaro

        Os Governadores e Politicos vivem da desgraça do pobre…. Nunca esse dinheiro chegaria ao Povo Pernambucano.

        Bolsonaro fez a coisa certa…. Parabéns

      • Engraçado que podiam ter feito isso Antes do carnaval e não fizeram.
        Para quem tem condições financeiras de ficar em casa como muitas que vivem nas costas do estado é fácil, quero ver sobreviver igual as pessoas que moram na periferia e já não tem mais como comprae comida.

  1. Que Deus interfira na cabeça desses chefes e os livrem da hipnose e paranoia que eles se envolveram e até foram instrumentos dela. Caso contrário o povo é que vai sofrer.

  2. Esse Paulo Câmara é sem comentários! É a demagogia e hipocrisia em pessoa! Adota medidas que ferram a economia e agora vem pagar de bom moço, como se preocupado estivesse. Que vergonha!

    Ele bem que poderia ajudar na economia, pagando o atrasado dos fornecedores, coitados, que penam pra receber algo desse governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome