Na hora de elogiar, elogios: Mãe de bebê prematuro agradece assistência prestada pelo HDM/Imip

2
Foto: Ascom HDM/Imip divulgação

Este Blog recebe constantemente críticas relacionadas ao atendimento no Hospital Dom Malan (HDM), em Petrolina, gerido pelo Imip. A unidade, inclusive, já ficou na berlinda por recentes mortes de gestantes e de bebês. Mas os elogios também merecem uma justa divulgação.

É o caso de Maria das Graças da Silva. Ela é do município de Pau a Pique, na Bahia, e viveu uma gravidez cheia de complicações, passando dez dias internada no Alto Risco do HDM/Imip. Mesmo com todos esses cuidados, Luísa Vitória da Silva Santos resolveu não esperar mais e nasceu no dia 30 de janeiro deste ano, com apenas 26 semanas. Um parto prematuro nessa idade gestacional traz consigo muitos riscos, inclusive porque o bebê ainda não desenvolveu bem o seu sistema respiratório.

Mas Luísa provou ser vitoriosa não só no nome. Mesmo enfrentando a prematuridade, baixo peso, questões genéticas e condições adversas da mãe na gravidez (como a pressão alta), a pequena lutou bravamente e já está com cinco meses, forte, ganhando peso e no conforto do seu lar (a alta aconteceu no último dia 19 de maio).

Maria das Graças atribui a sobrevida da sua segunda filha ao atendimento prestado pelo HDM. “Ainda pensamos em ir para outro município tentar o parto, mas minha mãe sabia que o Dom Malan era o melhor lugar. Com certeza, o atendimento que Luísa recebeu fez toda a diferença. Fomos muito bem tratadas no hospital e sou muito grata a todos”, afirmou, em visita à Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), onde a filha passou os três primeiros meses de vida.

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu me lembro dessa médica, ela me disse coisas horríveis quando precisei transferir meu bebê de um município para cá, eu morava aqui em Petrolina e por infelicidade minha filha acabou nascendo prematura na cidade que meus pais viviam é que não tinha suporte nenhum, só receberam meu bebê pq ameacei entrar na justiça, nunca vou esquecer ela me humilhando na UTI neonatal. Infelizmente minha filha veio a óbito, não culpo o hospital, mas a falta de humanidade em muitos profissionais ali é imensa, falta amor ao próximo! Dizer coisas a uma mãe vendo a filha padecer é desumano. Isso foi em junho de 2007. Graças a Deus tive mais dois filhos, a última com 8 meses, ambos nasceram em hospitais particulares, mas lamento e tenho tristeza em saber que a maioria das pessoas não têm condições de pagar um plano de saúde ou um parto e se sujeita a certas condições e a certos profissionais.

  2. Também fui muito bem. Atendida e meu filho também nasceu prematuro e teve Um atendimento ótimo …queria muito entrar em contato com essas pessoas ai do bersario do imip ,pois achei elas muito dedicada aquelas crianças do berçário …

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome