Movimento Armorial é a mais nova inspiração do artistas plástico e jornalista Rinaldo Lima

1

O artista plástico e jornalista pernambucano Rinaldo Lima está com um novo projeto. E não é qualquer projeto. Ele lançou nesta terça-feira (11) a exposição “Armorial em Movimento”, que traz nove telas, na sua maioria, inéditas, fazendo referência ao movimento Armorial liderado por Ariano Suassuna (1927-2014) na década de 70. Foi uma iniciativa artística com o objetivo de criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do nordeste brasileiro.

O movimento teve influência em várias expressões artísticas como música, dança, literatura, artes plásticas, teatro, cinema, arquitetura – entre outras expressões. O próprio Suassuna é retratado por Rinaldo bem ao seu estilo pop multicolorido. Mesmo com a temática, há um espaço reservado para Juazeiro, com obras sobre a ponte Presidente Dutra, e o pai da Bossa Nova, João Gilberto.

A exposição foi lançada durante a inauguração da expansão do Juá Garden Shopping, em Juazeiro (BA), quando 17 novos empreendimentos e serviços foram entregues aos frequentadores do centro de compras. Esta é a primeira vez que Rinaldo Lima expõe num espaço com tamanho fluxo de pessoas.

“Eu comecei a sentir a resposta do público já na montagem. Já fiz muitos contatos, recebi muitos elogios e isso é muito gratificante”, revelou. Algumas escolas já entraram em contato com o artista para agendar visitas guiadas com os alunos. “essa é uma parte, particularmente prazerosa das exposições para mim. Esse contato com crianças e jovens, conversando com eles, tirando suas dúvidas e às vezes inspirando-os, é inexplicável a sensação”, comemorou.

A exposição “Armorial em movimento” já foi realizada em 2015 em um festival Cultural de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte em Minas Gerais. No Juá Garden Shopping o evento fica em cartaz durante um mês.

1 COMENTÁRIO

  1. Muito talentoso, parabéns ! Técnica + arrojo visual + resgate e conhecimento da cultura popular = Rinaldo Lima .

    Algum comentário da “tchurma” cujo habitat é a Secretaria de Cultura petrolinense ? Zero comentário de quem devia apoiar , pelo menos com palavras de incentivo e reconhecimento, ao artista que já rompeu fronteiras regionais !
    Agora chamar aberrações do pseudo sertanejo e pagar uma fortuna para dupla de colhedores de tomates goianos e ainda chamarem de cultura , ai são ligeiros demais !

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome