Morte da esposa de vereador eleito de Tabira pode ter sido crime passional; fisioterapeuta apontada como mandante é presa

0

fisioterapeuta presa tabiraNo mesmo dia do crime que chocou a população de Tabira (PE), no Sertão do Pajeú, a polícia prendeu ontem (1) a fisioterapeuta Sílvia Patrício, 44 anos, apontada como sendo a mandante do assassinato de Érica de Souza Leite, 30, esposa do vereador eleito e odontólogo Marcílio Pires. Ela foi presa em flagrante pelos delegados Germano Ademir e Jorge Damasceno. Segundo o Blog do Nill Júnior, a prisão foi possível após o assassino confesso, José Tenório da Silva – o ‘Zé Galego’ – ter sido preso entre os municípios de Tabira e Solidão, ainda na tarde de ontem. Ele foi ouvido pelos delegados em Afogados da Ingazeira.

A primeira versão de Zé Galego foi a de que a vítima devia a ele uma importância em dinheiro. A polícia não acreditou, já que trabalhava em uma oficina sem muitos recursos e não tinha nenhuma relação profissional com a vítima, que sequer o conhecia. No curso dos depoimentos, o assassino revelou que Sílvia Patrício teria pago R$ 1 mil para que ele executasse a jovem. A fisioterapeuta tem negado, mas os investigadores não têm dúvida de que seja ela a mandante.

Silvia e Tenório estão na sede da Área Integrada de Segurança (AIS) de Afogados da Ingazeira, onde funcionam a delegacia e o 23º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Eles estão escoltados por policiais em celas da unidade. Zé Galego deve ser levado à Cadeia Pública de Afogados, enquanto Silvia ser levada ao Presídio Feminino de Buíque. Mas para isso, o juiz de plantão terá que acatar o flagrante na audiência de custódia.

Crime passional

A polícia acredita que o crime pode ter sido passional, uma vez que Marcílio e Sílvia tiveram um relacionamento há quase dez anos. Desde então, ela vivia inconformada com o término da relação e passou a assumir, segundo o odontólogo, “uma postura obsessiva, de perseguição” a ele e às parceiras que teve depois disso. Marcílio já chegou a denunciá-la por ameaça à sua esposa, pelo que foi apurado. A acusada pela morte de Érica é natural de Carnaíba (PE), Sertão de Itaparica. Nas últimas eleições, foi candidata a vereadora pelo PTC, obtendo 41 votos. Recentemente, iniciou a participação em uma comissão que buscava reduzir os salários de vereadores tabirenses. (foto: Blog do Nill Júnior/reprodução)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome