Moradores do bairro Rio Claro dizem que caminhão da coleta não passou e lixo toma conta de terreno baldio; Prefeitura responde

3
Foto: Wanderley Alves

A reportagem do Programa Carlos Britto esteve na Rua 4 do bairro Rio Claro, zona oeste de Petrolina, na manhã desta quarta-feira (15) a pedido dos moradores. Segundo eles, o caminhão da coleta não passou e isso gerou transtornos por conta do acúmulo de lixo nas calçadas e em um terreno baldio. “O carro do lixo passa geralmente na segunda, na quarta e na sexta. Na sexta-feira, como foi feriado, não houve coleta do lixo. Então, na segunda-feira foi acumulado o lixo da sexta até a data de hoje, que na segunda-feira o carro não passou. E tá todo mundo com o lixo nas portas de casa porque não passou. E também já tem o problema desse terreno, o povo aproveita que a coleta não passou, para acumular no terreno também“, contou uma moradora.

Já o comunitário João Henrique explicou que a proprietária do terreno já foi informada da situação. “A dona não toma providência, fomos falar com ela, e ela não tá nem aí. O [caminhão do] lixo não passou, o povo jogou o lixo e aqui tá demais. A dona precisa tomar uma providência”. Inclusive outros moradores relataram que, para evitar o aparecimento de animais peçonhentos e ratos em suas residências, eles têm pagado para que seja feita a limpeza no local.

Em resposta, o secretário de serviços públicos da Prefeitura de Petrolina, Alisson Oliveira, esclareceu que o problema com a coleta aconteceu devido a dois fatores: a quantidade de pessoas que estão em suas residências, por conta do isolamento social e que impacta na  quantidade de lixo que é produzido, e consequentemente com a sexta-feira santa, um dos três feriados que a equipe de limpeza da cidade tem por ano.

“Devido a esses fatores, tivemos que redimensionar as equipes na sexta-feira. Na segunda-feira o excesso foi muito grande e na quarta já vinha muito forte. Agora, de hoje, com a coleta subsequente a da segunda-feira, os pontos serão zerados. Pedimos paciência à população. É um momento diferente para todos nós, para o mundo na verdade. E não seria diferente com relação à coleta”, disse o secretário.

Com relação à situação do terreno baldio, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEDURBH) esclareceu “que a limpeza de terrenos particulares é de responsabilidade dos proprietários. Informa também que a equipe de fiscalização será encaminhada ao local, para identificar e notificar o dono, com o prazo de 15 dias úteis para limpeza e de 60 para cercar os limites da área. Pede ainda que a população formalize a denúncia junto à Ouvidoria Municipal, por meio do número de telefone 156″.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome