Moradores de Mirandiba (PE) participam da elaboração do plano diretor do município

0

plano diretorA população dos municípios da área de abrangência do Projeto São Francisco tem participado da elaboração dos planos diretores de suas cidades. A ação, que é uma iniciativa do Ministério da Integração Nacional, faz parte do Programa de Apoio às Prefeituras, desenvolvido em 47 municípios dos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

Neste mês de julho, mais de 600 pessoas participaram das audiências públicas realizadas em Uiraúna (PB) e Mirandiba, no Sertão de Pernambuco. Principal instrumento de planejamento das cidades, os planos diretores municipais definem estratégias básicas para o desenvolvimento das localidades, em áreas como expansão urbana, abastecimento de água, coleta de lixo, segurança, educação, saúde e geração de emprego.

Segundo o secretário municipal de Mirandiba, Edilton Silva, a cidade possui mais de 60 associações representativas que deverão colaborar durante todo o processo de discussões. “Muitas vezes a população aponta demandas que o poder público não observa. Por isso, acreditamos que as discussões serão bem produtivas”, afirmou.

O objetivo do Programa de Apoio Técnico às Prefeituras é justamente contribuir para tornar cada vez mais participativo o processo de elaboração dos planos diretores municipais. Para tanto, a equipe técnica da Integração Nacional visita comunidades urbanas e rurais, convidando os moradores e instituições locais a participarem do grupo – formado por representantes do poder público municipal e da sociedade civil organizada.

Leituras Comunitárias

Além das audiências públicas, o programa também realiza oficinas de capacitação e leituras comunitárias, nas quais os moradores podem analisar o município em suas potencialidades e dificuldades, e também discutir os problemas relacionados à saúde, educação, transporte, saneamento básico, moradia, trabalho e renda – entre outros temas. Essas leituras vão compor o diagnóstico municipal, que subsidiará o plano diretor.

Segundo a presidente da Associação do Quilombo Cajueiro de Mirandiba, Rosineide Jesus, para um bom diagnóstico é fundamental que a população realmente se faça presente nessas reuniões e traga suas demandas. “Percebi que todo mundo que participou das reuniões gostou muito. Precisamos agora dar continuidade para que todos possam manifestar as suas opiniões”, avaliou. As informações são da assessoria da Integração Nacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome