Ministro da Defesa visita obra de transposição do São Francisco em Floresta

por Carlos Britto // 30 de janeiro de 2009 às 15:30

O Ministro da Defesa, Nelson Jobim, esteve na última quinta-feira (29) no município de Floresta, no Sertão de Pernambuco. Ele visitou as obras do projeto de transposição das águas do rio São Francisco. À tarde, o ministro sobrevoou os primeiros quilômetros do eixo leste das obras. Depois ele aterrisou no 3º Batalhão de Engenharia de Construção de Picos (BEC) no Piauí, que é responsável pelo trecho. Lá ele viu uma maquete da transposição e ouviu explicações de engenheiros sobre a mudança dos cursos das águas capitadas no local.

O eixo leste terá 220 km de extensão e vai levar água represada do São Francisco no Lago de Itaparica, que seguirá em canais e barragens para irrigar o semi-árido de Pernambuco, da Paraíba e do Rio Grande do Norte. O orçamento total da obra, incluindo o eixo leste, é de cerca de R$ 6 bilhões. “É uma obra extraordinária, ainda mais quando você vê do helicóptero a aridez da região”, afirmou Nelson Jobim. “Vamos produzir uma grande recuperação econômica e social”.

O trabalho no eixo leste já foi parado várias vezes por determinação da justiça, atendendo a processos movidos por pessoas que são contra a transposição do Rio São Francisco, e que já fizeram, e fazem, manifestações contrárias às obras. Estas o Ministro chamou de “parados no tempo”. “São pessoas que vivem no passado e têm uma desconfiança do futuro, sempre acham que as coisas que podem ser feitas vão dar errado, mas eles ficam para trás”, disse.

Ministro da Defesa visita obra de transposição do São Francisco em Floresta

  1. Opara disse:

    O governo impõe uma verdadeira ditadura de opinião… beneficiando-se de sua alta popularidade trata os contrários ao qualquer posição do governo de traidores da nação. Veja só Nelson Jobim… nem sabe do que se trata a obra, mas já se apresenta um phd em transposição do rio São Francisco. Tudo isso gração ao bolsa-voto. E ainda querem se apresentar como estadista. É de fato, o Brasil não é um país sério.

  2. Caro colega do blog, preciso mesmo comentar seu termo “bolsa-voto”.
    Sempre que vejo a expressão “bolsa família” eu penso nisto.
    Confesso que o Governo Lula teve grandes avanços e que surpreendeu (felizmente para melhor) as minhas expectativas criadas quando da primeira vitória do Lula.
    Ou seja, para mim o Presidente Lula fez muito mais do que o esperado. Acho que para mim e para a maior parcela da população.
    Mas isso não me impede de concordar que o bolsa família é sim eleitoreiro, estimula a “vagabundagem” (com o perdão da palavra), e que aumenta tanto a popularidade do Presidente que agora a faixa de renda para entrar no bolsa família foi reajustada.
    Sorte do Governo (e azar nosso) que a arrecadação bate récordes a cada dia e assim a gastança pública está assegurada.
    E ratificando seu comentário, de fato ainda estamos a alguns km´s de distância de sermos um país sério.
    aluilce@terra.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *