Miguel Coelho chama vereador Gabriel Menezes de “coronel” e diz que ele “não é dono do PSL”

4
Miguel Coelho. (Foto: Gabriel Siqueira/Blog do Carlos Britto)

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), não deixou passar as recentes declarações do vereador oposicionista Gabriel Menezes (PSL) em relação ao grupo político liderado pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). Um dos posicionamentos mais contundentes do pesselista foi afirmar que decidiu tomar a frente da legenda no município por não aceitar que o partido servisse de ‘moeda de troca”, já que o atual presidente Júlio Costa e um dos principais integrantes do PSL, Alvorlande Cruz, desejavam uma aproximação com o prefeito.

Para quem tem um discurso político tão ético em relação a essa questão de ser dono do partido, ele está um ‘coronel’ do PSL, pelo que está falando”, alfinetou.

Segundo Miguel, a legenda pesselista tem outros membros que precisam também ser ouvidos. O prefeito, inclusive, citou a possibilidade de, caso o vereador Domingos de Cristália (outro filiado ao PSL) tenha seu mandato cassado, quem assume a vaga é o suplente Alvorlande Cruz. “E aí? Gabriel vai mandar sozinho? Não vai escutar ninguém?”, indagou, em tom provocativo.

O prefeito vê “uma contradição” essa postura do oposicionista, uma vez que critica tanto outros grupos políticos, mas está fazendo o mesmo quando tenta ‘atropelar’ o presidente do seu partido (Júlio Costa). “Acho que ele se inspirou em algumas atitudes para fazer o mesmo no PSL”, criticou. Perguntado sobre o fato de Gabriel ter dito que a legenda terá candidatura própria à prefeitura em 2020, com a possibilidade dele próprio encabeçar esse projeto, Miguel se disse tranquilo. “Se ele quiser ser candidato em 2020, todo mundo pode ser. E eu vou esperar o reconhecimento da população pelo nosso trabalho. Vamos enfrentar quem tiver (na disputa) e vai ganhar quem tiver mais voto”, ponderou.

Rumores

Sobre os rumores de que poderia trocar o PSB pelo PSL, Miguel Coelho disse que sempre teve uma boa relação com a legenda antes da questão política, já que sua família tem um vínculo de amizade com o atual presidente da sigla nacional, o deputado federal Luciano Bivar. Além disso, Miguel destacou o prefeito de Araripina (PE), Raimundo Pimentel, que também é pesselista mas apoiou o federal reeleito Fernando Filho, sem falar do relacionamento de respeito que mantém com o PT da federal eleita Marília Arraes e da vereadora Cristina Costa. “Acho muito precipitado, até porque a gente está vendo uma grande euforia de quem ganhou o poder e acha que agora pode tudo, que só existe um partido no Brasil. O Brasil não é do PSL, nem o PSL é dono do Brasil. Eles precisam saber que há outros partidos e pessoas com quem precisam dialogar. A gente não quer ditadura, a gente quer democracia”, arrematou.

4 COMENTÁRIOS

  1. Fico a imaginar o oportunismo de alguns querendo adentrar no PSL, será que quando este desgoverno afundar estão ao lado do Bolzo.

    E ainda falam de Coroelismo, de Seu Clementino para cá, nunca teve isto em Petrolina.

  2. O partido de Bolsonaro irá abocanhar valor considerável de tempo de televisão e fundo partidário no próximo ano, por isso miguelito está querendo comprar briga com Gabriel, sabe que vai precisar do PSL, além de que corre o risco de ser expulso do PSB a qualquer momento, e o PSB querer tomar o cargo de Aero, o escudeiro do prefeito na câmara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome